Fã do brasileiro Felipe Nunes, russinho que não tem pernas está virando a nova estrela do skate

maxlullove
Skatistas com deficiência do Brasil são fonte de inspiração de Maksím Abrâmov, que perdeu as pernas por causa de um incêndio quando tinha apenas um ano e meio. Hoje, aos 10 anos e com uma nova família, ele está sob os holofotes no mundo inteiro.

Na manhã de 31 de março de 2011, uma tragédia aconteceu em Blagovêschensk (quase 8 mil quilômetros a leste de Moscou): um bebê de um ano e meio de perdeu as pernas e foi abandonado por todos os parentes.

Desde então, a criança ficou sob os holofotes dos jornalistas para sempre. Maksím Abrâmov passou a ser mostrado em noticiários e programas de TV regularmente. Neste ano, para completar, o campeão norte-americano do skate Tony Hawk postou um vídeo com ele no Instagram. “Meu novo skatista favorito”, escreveu Hawk na legenda.

Um dia divisor de águas

A mãe biológica de Maksím, Galina Abrâmova, de 28 anos, acordou cedo naquela manhã de 2011 e foi visitar uma amiga para, como declarou mais tarde no tribunal, beber aguardente com ela. Estava frio em sua casa e, antes de sair, Galina deixou o aquecedor ao lado do berço do filho, que dormia ali.

O bebê puxou o aquecedor pelo cabo e o arrastou para o berço. Quando Galina voltou, a casa estava em chamas. A criança teve queimaduras de quarto grau e, para salvar sua vida, os médicos amputaram suas pernas. Nos três meses que se seguiram, a mãe não foi uma única vez visitar a criança no hospital.

Pelo abandono de incapaz, Galina foi condenada a três anos de prisão. A avó de Maksím também rejeitou a criança, dizendo: "Estamos todos preocupados, mas já não dá para colocá-lo de pé. Eu não preciso disso p#**@ nenhuma".

Nova familia

Depois de receber alta do hospital, Maksím precisou de um tratamento caro e cerca de 18 operações, como contou, em 2012, sua mãe adotiva Inna Lallav, proprietária da popular rede de cafés “Dablbi”.

O menino se mudou para São Petersburgo e tem uma irmã, Natália. Agora, Maksím tem dois treinadores de natação, um professor de desenho, um treinador de skate e até um motorista particular.

“Para ele, mover-se com a ajuda do skate tornou-se a solução de muitos problemas”, contou seu treinador, Pável Muchkin, ao portal Sobaka.ru. Desde 2016, ele treina o garoto, ajudando com conselhos, filmando e editando vídeos seus para o Instagram e intermediando a comunicação com jornalistas.

Quando os dois se conheceram, o menino já subia no skate: ele não gosta de cadeiras de rodas, nem de próteses. O treinador mostrou a Maksím crianças como ele andando de skate no Brasil e nos EUA, e o menino decidiu aprender. Este foi seu primeiro aluno com deficiência.

Quando Tony Hawk postou o vídeo com Maksím Abrâmov, os seguidores do garoto no Instagram saltaram de 15 mil para 40 mil.

Popularidade súbita

Em 2016, Maksím se encontrou com a estrela australiana Nick Vuychich, que nasceu sem braços e pernas, em uma transmissão no Piérvi Kanal da TV russa. Em 2018, o patriarca Kiríll (equivalente ao Papa na Igreja Ortodoxa Russa) entregou a Maksím um crucifixo.

Naquele mesmo ano, o menino se apresentou no Campeonato Mundial de Skate em Moscou - fora da competição com outras crianças.

Maksím passa quase todos os dias na página do skatista brasileiro Felipe Nunes, que também não tem as pernas: o menino observa as performances dele e analisa suas manobras.

Ele gosta da popularidade que arrebatou. Apesar de que agora é necessário explicar a ele que, por exemplo, não é legal ficar se exibindo com o número de seguidores que conquistou, como conta o treinador. "Eu tento dizer a ele que é preciso tomar cuidado não apenas consigo mesmo, mas também com outras pessoas, e tento afastá-lo de manipulações", diz.

Quando lhe perguntam qual seu sonho, Maksím diz que quer participar das Olimpíadas. E já começou a se preparar para competições: em outubro, ele foi a Niíjni Nôvgorod para experimentar a pista onde será realizado o Campeonato Europeu de Skate de 2020.

LEIA TAMBÉM: ‘Haters’ atacam garota sem intestino na rede

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies