Pilotos russos fazem pouso ‘milagroso’ e salvam todos os 233 a bordo de Airbus A321

Valeriy Melnikov/Sputnik
Avião desceu em uma plantação de milho, após colidir com um bando de pássaros. Especialistas estão comparando o incidente com o ‘Milagre no Hudson’.

O capitão Damir Iussúpov e seu copiloto Geôrgui Murzin salvaram 233 pessoas ao aterrissar o Airbus A321 com o trem de pouso recolhido em um milharal próximo do aeroporto de Jukóvski, nos arredores de Moscou.

O avião da companhia Ural Airlines com destino a Simferopol, na Crimeia, supostamente colidiu com um bando de pássaros após a decolagem.

Ambos os motores da aeronave pararam de funcionar, e os pilotos tiveram que aterrissar o avião manualmente com tanques cheios de querosene. A decolagem foi interrompida quando a aeronave ainda estava a 200 metros do solo.

Os pilotos conseguiram realizar um pouso de emergência com o trem de pouso recolhido, e com os motores desligados, em uma grande plantação de milho a um quilômetro da pista do aeroporto.

Todos os 226 passageiros e 7 tripulantes a bordo do Airbus A321 sobreviveram. Após o pouso brusco, as pessoas tiveram que deixar o avião pelas saídas de emergência.

Vinte e três passageiros, incluindo 9 crianças, foram hospitalizados com ferimentos leves.

As ambulâncias chegaram rapidamente, graças à proximidade com o aeroporto, mas os passageiros tiveram que pegar um trecho através do milharal.

Os bombeiros não encontraram indícios de incêndio no avião.

Ainda assustados, os passageiros elogiaram a atuação dos pilotos e tripulantes.

“O pouso foi duro, mas o avião não chocou contra o chão com o nariz. Devemos prestar homenagem aos pilotos, porque eles conseguiram pousar da maneira mais suave possível em tais circunstâncias”, disse um dos passageiros a jornalistas no aeroporto de Jukóvski.

Pilotos do aviao

As ações da tripulação e o pouso estão sendo comparados por especialistas a um incidente de 2009 conhecido como “Milagre no Hudson” – quando um Airbus A320, pilotado por Chesley Sullenberger e Jeffrey Skiles, fez um pouso de emergência semelhante no rio Hudson, em Nova York.

LEIA TAMBÉM: Por que os russos aplaudem quando o avião pousa? 

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies