Após pressão pública, autoridades decidem priorizar combate a queimadas na Sibéria

Avialesokhrana
Imprensa teve papel de peso ao estimular trabalho ativo e conjunto de bombeiros, associações e políticos.

Grandes incêndios florestais estão atingindo mais uma vez a Sibéria e o Extremo Oriente Russo neste verão. O incêndio se espalhou por uma área de mais de 30.000 quilômetros quadrados, e a fumaça envolveu várias grandes cidades da região.

Embora as queimadas sejam visíveis do espaço, houve na última semana um intenso debate entre autoridades e o público sobre a viabilidade de extingui-las. 

A controvérsia levantada pelos meios de comunicação de massa russos atraíram  atenção para o problema, dando mais voz àqueles que já defendiam uma iniciativa contundente na luta contra os incêndios florestais.

O presidente russo Vladimir Putin instruiu os militares a unirem esforços com os bombeiros locais, e o governo federal se comprometeu a destinar 6 bilhões de rublos (91,6 milhões de dólares) do orçamento da União para a causa.

Paralelamente, aviões e helicópteros vêm realizando missões diárias para extinguir os incêndios. A todo momento surgem na internet novos vídeos e fotos dessas ações.

Os militares realocaram 10 aviões Il-76 e 10 helicópteros militares no aeroporto de Krasnoiarsk, para combater as queimadas.

Além disso, um avião AN-26 partiu recentemente do aeroporto de Irkutsk com uma missão não convencional: causar chuva artificial na região espalhando iodeto de prata – um composto químico inorgânico – nas nuvens.

O famoso avião anfíbio Be-200 também é peça-chave nas operações.

Confira mais fotos abaixo:

VEJA TAMBÉM: Blogueira russa expõe realidade na área mais poluída dos Urais 

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies