Quadro roubado de Kuindji inspira nova linha de suvenires

Obra de 180 mil dólares foi levada da Galeria Tretyakov, em Moscou, diante dos olhos de dezenas de visitantes. Encontrada horas depois, pintura será agora impressa em bolsas e camisetas.

A obra “Ai Petra. Crimeia”, do pintor Arkhip Kuindji, que foi roubado em janeiro passado na Galeria Tretyakov, em Moscou sob os olhos de dezenas de pessoas, inspirou uma nova linha de suvenires. A ideia foi desenvolvida pelo Museu Russo de São Petersburgo, que abriga o trabalho em seu acervo permanente.

Ai-Petri Crimea

As imagens de bolsas, aventais e camisetas com a impressão da pintura foram publicadas na página do Instagram do museu.

“Lançamos uma linha de suvenires inspirada na pintura”, lê-se na publicação do museu. “Esperamos que esses objetos sejam uma fonte de bom humor, inspiração para futuras viagens e que mostrem ao mundo seu amor pela arte russa”.

O roubo, cujo vídeo se tornou viral em poucas horas, ocorreu em janeiro passado na Galeria Tretyakov, em Moscou, durante uma exposição temporária dedicada ao artista de origem grega e um dos principais pintores de paisagem russos Arkhip Kuindji.

A exposição se transformou no cenário do “crime perfeito”, quando um dos visitantes tirou a pintura da parede e foi embora sem ninguém intervir.

LEIA TAMBÉM: 10 suvenires tradicionais da Rússia para levar para casa 

A pintura, feita entre o final do século 19 e início do século 20, retrata uma das cadeias montanhosas mais famosas da Crimeia e é estimada em 12 milhões de rublos (US$ 181 mil). A obra foi encontrada e recuperada algumas horas após o roubo.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies