Daguestão, a ‘fábrica’ de lutadores que produziu Khabib e muitos outros campeões

Ilyas Hajji
Esporte é tudo que os lutadores do Daguestão conhecem. Suas famílias os apoiam por anos a fio, esperando algum dia por um cinturão de campeão.

Antes de Khabib Nurmagomedov pular fora do octógono e continuar brigando na área dos espectadores, ele forçou Conor McGregor a se submeter a um estrangulamento brutal.

Na terra natal de Khabib, o Daguestão (no sul da Rússia), isto não surpreendeu ninguém. Uma expressão local ali é "regras da luta livre". Os daguestaneses, que vivem e respiram essas palavras, iniciam-se na luta livre, literalmente, na infância. Ali, as sessões diárias de treinamento mais se parecem com batalhas de gladiadores pela sobrevivência.

‘Regras da luta livre’

A maior decepção na carreira profissional de Shamil Aliev, 40, foi sua derrota nos Jogos Olímpicos de 2004, em Atenas. Este jovem e ambicioso lutadorestava destinado ao sucesso, mas caiu em um momento crucial.

A maior decepção na carreira profissional de Shamil Aliev, 40, foi sua derrota nos Jogos Olímpicos de 2004, em Atenas.

Hoje, passados 14 anos, Aliev ainda sonha com o ouro olímpico – mas, desta vez, para seus alunos. Ele treina lutadores freestyle no centro de maior prestígio do Daguestão, a Escola Esportiva Hamidov.

Lá, crianças, adolescentes e adultos, todos motivados pela perspectiva da vitória olímpica, treinam várias vezes ao dia com apenas algumas pausas curtas para dormir.

Aliev ainda sonha com o ouro olímpico, mas para seus alunos.

O modo de vida, os laços familiares e até mesmo a economia desta república do sul da Rússia estão, em grande parte, voltados para a produção de futuros campeões.

"No Daguestão, jovens lutadores recebem ajuda de parentes, irmãos e tios para se certificarem de que o esporte que escolheram seja sempre a prioridade. Este é o único jeito. Em artes marciais mistas (MMA), ‘regras de luta livre’. Isto é o que Khabib mostrou a todos", diz Said Hamidov, 23, campeão mundial de wrestling e filho de Hamid Hamidov, ministro das Finanças da República do Daguestão morto em um ataque terrorista em agosto de 1996. Said treina hoje na academia que leva o nome do pai.

Hamidov (dir.) é filho de Hamid Hamidov, ministro das Finanças da República do Daguestão morto em um ataque terrorista em agosto de 1996. Agora, Said treina na academia que leva o nome do pai.

Apesar de o esporte não profissional quase não gerar renda, o daguestaneses não hesitam em investir grandes somas no desenvolvimento de jovens lutadores. Se alguém da família lutar, espera-se que parentes próximos e distantes apoiem plenamente os jovens talentos, mesmo que seus investimentos nunca compensem materialmente.

"Se você trabalhar enquanto treina, não conseguirá nada. Somente a dedicação total produz resultados", diz Hamidov.

Nesta república relativamente pobre, o wrestling e o MMA realmente atraem grandes investimentos, tanto estatais, quanto privados. Seja qual for a renda familiar, os parentes de atletas promissores fornecem apoio.

Todo mundo pratica lutas ali, independentemente de a pessoa dirigir um carro de luxo importado ou um Lada de décadas atrás.

Todo mundo pratica lutas aqui, independentemente de a pessoa ter carro importado de luxo ou um Lada.

"Faço esta viagem três vezes por semana", diz o motorista de um Land Cruiser 200 enquanto sobe uma colina para levar o filho ao local de treinamento de Aliev.

Longas sessões intensivas no ar puro da montanha começam às 7 horas da manhã em dias úteis e fins de semana.

As longas sessões intensivas no ar puro da montanha começam às 7 horas da manhã em dias úteis e fins de semana, por isto os daguestaneses que praticam este esporte realmente não têm tempo para trabalhar ou estudar.

Os daguestaneses que praticam o esporte realmente não têm tempo para trabalhar ou estudar.

Mas os que têm habilidade o suficiente - além de dinheiro e apoio de parentes - podem ser convidados a se unir à equipe que levou o inimigo de McGregor, Khabib Nurmagomedov, à glória do UFC.

Águias MMA

Um dos dois locais onde treina o campeão do UFC Khabib Nurmagomedov está localizado nos arredores de Makhatchkalá, a capital do Daguestão. Ali, os lutadores adultos do clube Águias MMA treinam os jovens que logo estarão prontos para substituí-los.

Lutadores adultos do clube Águias MMA treinam os jovens que logo estarão prontos para substituí-los.

Os adolescentes precisam de muita experiência antes de começarem a treinar no Águias MMA. "O mais importante para um lutador é se enraizar na luta livre. Entre 10 e 12 anos são dedicados a isso, e só então se pode partir para o MMA", diz Abdurahman Guitinovasov, 28, um dos parceiros de luta de Khabib.

Abdurahman Guitinovasov (centro) é um dos parceiros de luta de Khabib.

Agora, Guitinovasov treina para lutar com Abdusamad Sangov no campeonato de MMA "Luta no Volga", que será realizado em Samara, em dezembro de 2018. Mas, depois que seu próprio treinamento termina, ele dedica o fim de suas noites a ensinar adolescentes sonhadores a arte do MMA.

A academia Spartan é de propriedade do treinador e pai de Khabib, Abdulmanap Nurmagomedov. Em um enorme cartaz, um dos poucos objetos decorativos da modesta academia, Abdulmanap - que detém o título de "Mestre em Esportes da URSS" em luta livre e agora lidera a equipe de sambo do Daguestão - está cercado por lutadores do clube Águias MMA. Em outro cartaz, o retratado é seu filho.

Em outro cartaz, o retratado é o campeão do UFC, Khabib Nurmagomedov.

As sessões de luta no clube estão focadas em técnicas de golpes. Apesar de a maioria dos adolescentes ter anos de experiência de luta, eles buscam Abdulmanap especificamente para aprimorar suas habilidades. O treino logo fica violento.

O treino logo fica violento.

Os jovens lutadores usam apenas luvas das mais leves nas mãos. Outros equipamentos de proteção são desprezados. Os capacetes são usados apenas por crianças com menos de 12 anos. Qualquer pessoa acima desta idade entra em um patamar, tanto físico, como mental, onde a disputa se transforma, literalmente, em um banho de sangue.

O equipamento de proteção é desprezado pelos daguestaneses.

Qualquer pessoa assistindo por mais de 30 segundos certamente testemunhará uma luta livre, ou algo pior. Como no MMA real, o treinador não interrompe a luta, apenas grita com o lutador se ele não conseguir detonar seu oponente.

"Por que parou? Vá atrás dele! Você não vê que ele está se cobrindo e rastejando para longe? Desça no tapete!", grita Guitinovasov para um adolescentes que, há apenas um segundo, quase quebrou a cabeça do parceiro de treino com um golpe direto na mandíbula.

Qualquer pessoa assistindo por mais de 30 segundos certamente testemunhará uma luta livre, ou algo pior.

A maioria faz o que o treinador diz, e não é algo fora do comum ver um menino de 10 anos nocauteando um parceiro de luta imóvel jogado no chão. As crianças mais velhas são, frequentemente, colocadas em pé pelo próprio treinador, para que a luta possa continuar.

Há tantos lutadores e espectadores espremidos no pequeno salão que, às vezes, um golpe de nocaute derrube o derrotado com a cabeça no colo dos pais, que assistem do lado de fora.

Time do dinheiro

O espetáculo, que chocaria até mesmo combatentes obstinados, é só um treinamento comum para os adolescentes do Daguestão no Águias MMA. É também nesta idade que os jovens percebem que o MMA pode ser uma carreira lucrativa.

Apesar de os próprios lutadores de MMA não saberem direito sobre valores, estima-se que eles ganhem dezenas de milhares de dólares por aparição no octógono.

"O MMA proporciona uma vida boa", diz Guinovasov, que luta pelo menos quatro vezes por ano.

Os daguestaneses se iniciam na luta livre e no MMA literalmente na infância. Treinador e pai de Khabib, Abdulmanap Nurmagomedov é retratado no centro do cartaz.

Parentes que financiam membros talentosos da família durante os primeiros anos devem esperar um retorno certeiro de seus investimentos. Como a competição no Daguestão é acirrada, mesmo quem não participa da equipe de Abdulmanap Nurmagomedov pode ser recrutado por países estrangeiros. Isto dá a esses países a chance de ganhar alguma medalha em competições internacionais.

"As pessoas aqui têm o sangue quente. O amor pela competição começa na infância. Acho que vem de nossos ancestrais", resume Shamil Aliev, explicando por que o Daguestão fez do MMA seu esporte nacional.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? 
Então assine nossa newsletter semanal ou diária.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies