Kubatchi, onde o artesanato tradicional do Cáucaso do Norte sobrevive aos séculos

O pequeno assentamento montanhoso Kubatchi, no Daguestão, ainda vive de artesanato produzido há muitos séculos. O fotógrafo russo Evguêni Kurskov visitou a região em maio passado e registrou as pessoas que mantêm suas tradições vivas.

Único assentamento localizado na parte montanhosa da república russa do Daguestão está situado 1.750 metros acima do nível do mar. 

Como a Rússia é vasta, poucos conhecem o cotidiano das pessoas nos locais mais remotos do país.

Um desses lugares isolados é Kubatchi, no Cáucaso do Norte – um território que testemunhou uma série de rivalidades políticas e confrontos militares.

De acordo com as estatísticas federais, em 2016 apenas 3.034 pessoas viviam ali.

Mencionado pela primeira vez em crônicas persas no século 4, Kubatchi costumava ser um dos maiores centros de produção tradicional com madeira, metal e pedra.

No século 7, as armas, cotas de malhas, joias e outros objetos feitos por artesãos de Kubatchi estavam em demanda na Transcaucásia e no Oriente Médio.

Esse povoado montanhoso ainda vive do artesanato tradicional. Embora esta seja a principal fonte de renda para muitas famílias, os rendimentos não são altos.

Muitas pessoas combinam artesanato com outro trabalho no vilarejo. Um frentistas, por exemplo, pode levar sua arte para o trabalho e finalizá-la em seu tempo livre.

As mercadorias produzidas pelos artesãos de Kubatchi são populares não só no Daguestão como em diversas regiões vizinhas.

Há também lojas on-line onde é possível comprar prataria, suvenires, joias, armas e relógios – todos fabricados artesanalmente em Kubatchi.

A estética e as tradições dos artesãos de Kubatchi persistem porque os membros de gerações mais jovens não estão dispostos a deixar a aldeia.

Os jovens aprendem as técnicas com seus pais e parentes. Grande parte vai cursar o ensino superior em cidades maiores, mas retorna a Kubatchi após a formatura.

As mulheres em Kubatchi não costumam se envolver em trabalhos pesados ​​de artesanato, mas também não se limitam a tarefas domésticas. Muitas conciliam suas atividades diárias com a fabricação de meias de lã com estampas tradicionais.

A língua local faz parte do grupo Dargwa (família do nordeste caucasiano), mas é bem diferente dos dialetos e idiomas falados nas aldeias vizinhas, o que dificulta a comunicação com os vizinhos. No entanto, como parte do Daguestão, a república mais multiétnica da Rússia, o povo kubatchi também fala russo.

Depois de um período difícil na história do Cáucaso do Norte, os moradores locais apoiam agora a elite dominante russa. Por todo o Daguestão, as pessoas dão suporte a Moscou porque têm medo de mudanças e da possibilidade de outra guerra.

Em 2016, aproximadamente 88,9% dos eleitores no Daguestão apoiaram o partido Rússia Unida durante as eleições da Duma (câmara baixa do Parlamento). Este é um dos maiores percentuais registrados nas regiões russas.

Curtiu? Então descreve também a “Iakútia, terra de neve e diamantes na Sibéria Oriental”.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? 
Clique 
aqui para assinar nossa newsletter.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies