Sexo no primeiro encontro é mais comum na Rússia do que se pensa

Getty Images
Esqueça a regra dos três encontros; não funciona mais no país eslavo. Apesar de atitudes machistas que ainda imperam no país, percepção vem mudando, inclusive, entre homens que vivem em grandes cidades.

“Estávamos bebendo em um bar onde tínhamos nos encontrado poucas horas antes, e ela me convidou para ir a sua casa. Ela não era meu tipo, mas eu não via como recusar o convite de uma mulher para sexo, especialmente ela não sendo repulsiva”, diz um moscovita cuja história muitos acharão familiar: dois adultos se encontram pela primeira vez e acabam fazendo sexo na mesma noite. Mas na Rússia algumas coisas são mais complicadas do que parecem, e sexo no primeiro encontro é uma delas.

Como gato e rato

Existe uma crença generalizada de que as mulheres russas preferem evitar o sexo no primeiro encontro. Pode haver uma miríade de razões, mas a mais citada é a dúvida. Pensamentos sobre possíveis consequências negativas de uma noitada costumam preocupar muitas mulheres no país. É claro que sexo no primeiro encontro não arruina a vida de uma mulher, mas a sociedade machista atua como um fator de desestímulo.

“As mulheres têm a reputação de manter e proteger. Como se não pudessem fazer sexo com um homem desconhecido”, disse Anna, de 20 anos, da região de Moscou.

Muitos acreditam que um homem deve ter a oportunidade de “perseguir a presa”.

“Há uma percepção generalizada de que os homens gostam de conquistar mulheres inacessíveis, do tipo difícil”, acrescenta Elizaveta, 32 anos, também de Moscou.

Algumas pesquisas mostram que uma parcela substancial dos homens russos reflete, de fato, essa visão. Um psicólogo que lida com relações entre homens e mulheres disse que 25% dos homens entrevistados concordaram que precisam de um período de ‘brincadeira de gato e rato’ antes de ir para cama. “Isso ajudaria a preservar a reputação da mulher e aumenta a autoestima do homem quando ele finalmente rompe a defesa. No mínimo, há uma crença generalizada na Rússia que diz que os homens não apreciam uma mulher que concorda com seus avanços com muita facilidade”, diz.

Homens de grandes cidades como Moscou, no entanto, dizem que os resultados de tal pesquisa são bobagem. “Mulheres são criaturas iguais aos homens e têm os mesmos desejos. A única diferença é que, por algum motivo, não é aceitável falar sobre esses desejos”, afirma Aleksandr, de 29 anos, que já teve longos relacionamentos com mulheres com quem teve relações sexuais no primeiro encontro.

O fim da regra de três

A maioria dos homens entrevistados pelo Russia Beyond se mostrou entusiasmada com a chance de fazer sexo no primeiro encontro. Eles se divertem com essas lembranças quando perguntados sobre o assunto e dizem que não perdem o respeito por uma mulher atraída para a cama logo no primeiro encontro. Em vez disso, “a autoestima de um homem aumenta”, segundo relata um moscovita.

Para as russas, a regra antiquada de três encontros também ficou no passado. De acordo com elas, o primeiro encontro é a hora certa para concordar com os avanços de um homem, mas apenas em circunstâncias específicas.

“Uma mulher faz sexo no primeiro encontro por razões que estão muito além de um homem específico: ela teve um dia difícil, ela quer se divertir, seu ex a traiu com sua melhor amiga e ela precisa vingar, ela não faz sexo há muito tempo, ou ela apenas decidiu que era o momento certo para isso”, diz Victoria, que mora em Moscou.

“No fim das contas, as garotas também querem sexo”, acrescenta Iúlia, de 29 anos. 

E, embora Iúlia pense ser possível que um homem perca o interesse por ela se fizer sexo já no primeiro encontro, ela diz que não terá muito respeito por um homem com essa visão de mundo.

Ainda assim, parece haver uma regra para lidar com as russas: não peça sexo explicitamente. “Não suporto convites explícitos como ‘vamos para a minha casa’”, comenta a moscovita Aleksandra, de 27 anos. “Quando o assunto é sexo, ser franco pode ser aceitável em outras culturas, mas mata o humor dos russos.”

Uma russa que vive na Alemanha e preferiu não ser identificada lembra, por exemplo, quando um colega casado e com filhos perguntou se ela gostaria de tomar uma cerveja com ele em um bar ou em sua casa. “Ele disse que gostava de mim e não se importaria em fazer sexo. Isso foi tão estranho! Na Rússia, um homem convida uma garota para tomar uma cerveja, enche sua cara e tentar seduzi-la ou molestá-la. Ainda não consigo entender o que sinto sobre esse convite educado”, conclui.

Confira aqui 7 motivos para não sair com uma russa (#sqn). 

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? 
Então assine nossa newsletter semanal ou diária.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies