Polêmica: tatuagens de crimonosos russos nas passarelas de Paris

Para quem quer uma dose do espírito eslavo na vida, a marca francesa de moda Vetements colocou este ingrediente em sua coleção primavera verão 2019. Os modelos vestiram blusões de moletom com palavrões em russo e imagens do roqueiro russo soviético Viktor Tsoi. Algumas peças são camisetas coladas do tipo segunda pele com desenhos de tatuagens associadas ao crime na Rússia.

A coleção foi criada pelo designer Demma Gvasalia, que nasceu na Georgia quando o país ainda era parte da União Soviética. Suas criações descompromissadas foram bem recebidas pelos fashionistas de Paris mas na Rússia a repercussão não foi tão positiva. Para alguns, a exploração da estética do crime acaba exaltando fraudes, assassinatos e violência. "Na minha cidade, usar algo assim pode fazer com que você seja morto", postou um russo em seu perfil no Instagram.

É fato que em algumas partes da Rússia as pessoas podem ser mal interpretadas por usar determinadas roupas. Se tiverem tatuagens (reais ou não) com símbolos usados por criminosos, a situação fica ainda pior.

Ao descrever sua coleção, Demma Gvasalia disse: "É como um documentário da minha vida. Eu dedico essa coleção ao meu país, à Georgia onde eu cresci com meu irmão Guram nos anos 1990 e à guerra que aconteceu onde vivíamos. Minha intenção foi retratar essa angústia, dor e medo na passarela".

As peças estarão disponíveis para compra no próximo inverno europeu, mas algumas celebridades já foram vistas com roupas da coleção. A modelo russa Natalia Vodianova, por exemplo, escolheu um vestido com animal print de leopardo.  

A atriz russa Renata Litvinova (à esquerda) com a modelo Natalia Vodianova.

Clique aqui para saber por que a baixa máfia russa (e todo país) ama a Adidas.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? 
Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies