Serviço de segurança explica por que Putin não usou cinto ao inaugurar Ponte da Crimeia

Reuters
Muitas pessoas que assistiram à inauguração da Ponte da Crimeia no início desta semana ficaram perplexas com o fato de o presidente russo Vladimir Putin não ter usado cinto de segurança ao dirigir um caminhão pela nova estrutura. Isso porque, assim como no Brasil, as leis de trânsito russas qualificam como infração dirigir sem o uso do cinto, com multa prevista de 1.000 rublos (aproximadamente R$ 60).

O Serviço Federal de Proteção da Rússia (FPS, na sigla em russo), que cuida da segurança presidencial, justificou o motivo pelo qual Putin dirigia sem cinto um caminhão Kamaz na Ponte da Crimeia antes da abertura oficial da estrutura.

“Oficialmente, o tráfego foi aberto às 5h30 do dia 16 de maio. Em 15 de maio, o presidente participou de um evento festivo – a cerimônia de inauguração da Ponte da Crimeia. A ponte, naquele momento, não era uma estrada em si, mas um canteiro de obras. O tráfego nesse tipo de local não é regulado pelas regras de trânsito”, explicou um funcionário da FPS ao portal de notícias Gazeta.ru.

Mais cedo, o deputado Oleg Khomutinnikov enviou uma solicitação oficial ao gabinete da Procuradoria-Geral da Rússia pedindo que fosse investigado se Putin havia violado alguma lei ao dirigir sem proteção, informou a imprensa local. 

Em entrevista recente, o porta-voz da presidência russa, Dmítri Peskov, contou que Putin tirou habilitação na categoria C, que o permite dirigir caminhões, há 20 anos.

Na terça-feira passada (15), o presidente russo inaugurou a Ponte da Crimeia, que percorre 19 km ao longo do estreito de Kertch e levou dois anos para ser construída.

Antes mesmo da abertura, os cosmonautas russos já haviam registrado algumas imagens da ponte diretamente do espaço.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? 
Clique 
aqui para assinar nossa newsletter.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies