Aeroportos de Moscou proíbem pessoas de deitar no chão e se trocar no banheiro

Stanislav Krasilnikov/TASS
Estas e outras regras entraram em vigor em três aeroportos da capital. Segundo autoridades, medidas tentam evitar que mendigos façam aeroportos de abrigo.

Se você é do tipo que se troca na cabine do banheiro ou curte levar seu filho para um passeio sobre o carrinho de bagagem, temos más notícias: três aeroportos de Moscou – Sheremetyevo, Domodêdovo e Jukóvski – adotaram novas regulamentações que proíbem diversas atividades (ver lista completa ao final desta reportagem) e impõem multas de 100 a 500 rublos (R$ 5,60 a 28) a quem violar as normas.

De acordo com as autoridades, a lei aprovada no Parlamento municipal (câmara dos vereadores) têm a intenção de evitar que moradores de rua se instalem nas premissas. Além de deitar no chão e nos assentos, é proibido também usar roupas sujas ou mal cheirosas, trocar de roupa na cabine do banheiro ou se lavar nas pias.

Entre outras medidas, que não parecem destinadas aos sem teto, não é permitido circular pela multidão sobre um hoverboard e ouvir música alta sem fones de ouvido, e deve-se usar os carrinhos de bagagem “​​para sua finalidade única”.

Após a aprovação, a lei gerou reações negativas entre os usuários de internet.

“É um absurdo! E se eu viajar para um país quente no inverno, eu tenho que me trocar! Essas regras foram certamente feitas por alguém que viaja em um jatinho particular”, escreveu Natalia, que prefere não ter o sobrenome divulgado.

Mães com filhos pequenos demonstraram preocupação com as novas regras, pois temem que trocá-los possa ser considerado uma violação, enquanto outros não veem nada de criminoso em se sentar no chão.

“Vi muitos mendigos no aeroporto de Paris recentemente, mas também vários jovens sentados no chão sem incomodar ninguém”, escreveu Marina no Facebook.

Diversas pessoas também criticaram a proibição de tirar um cochilo nas cadeiras ao aguardarem conexões ou se chegarem ao aeroporto com antecedência.

Ainda assim, há também quem defenda as normas. “Passei duas horas à noite no Sheremetyevo observando dezenas de mendigos andando, sentados e dormindo nos assentos, enquanto os passageiros aguardavam para se acomodar”, criticou Anna.

 

Confira abaixo a lista completa de proibições recém-aprovadas:

- molestar passageiros com ofertas de hospedagem ou serviços de táxi;

- tirar fotos ou fazer vídeos para fins comerciais;

- fazer comércio sem permissão do aeroporto (como vender coisas ou oferecer serviços aos passageiros)

- colocar peças de publicidade, avisos ou cartazes sem a aprovação do aeroporto;

- usar elevadores de passageiros para o transporte de artigos de grande porte (não há, porém, maiores esclarecimentos sobre o termo “grande”);

- usar carrinhos de bagagem ou de bebê em escadas rolantes;

- bloquear passagens, entradas e saídas do prédio com bagagens;

- ultrapassar a linha amarela no check-in e nos guichês de controle de passaporte enquanto estiver à espera de sua vez;

- colocar bagagem sobre os assentos nas salas de espera;

- deixar bagagem desacompanhada;

- utilizar carrinhos de bagagem para fins aos quais não se destinam, como, por exemplo, transportar crianças;

- usar roupas sujas ou mal cheirosas, ou transportar bagagens em tal estado;

- permanecer no aeroporto por mais de 24 horas sem bilhete ou reserva de voo;

- tomar banho, lavar roupas ou trocar de roupa em lugares inadequados;

- levar animais para o aeroporto, exceto cães-guia, e animais de apoio emocional ou que serão transportados no avião;

- deixar animais de estimação desacompanhados, no chão, ou alimentá-los;

- locomover-se de hoverboard, monociclo, bicicleta, patinete e patins;

- soltar bexigas ou empinar pipa;

- ouvir música sem fones de ouvido;

- deitar em assentos e bancos e no chão do aeroporto.

Quer saber também como evitar problemas na alfândega? Veja aqui.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? 
Clique 
aqui para assinar nossa newsletter.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies