Exército russo convoca milhares de reservistas para atualização

Alexandr Kryazhev/Sputnik
Em alguns meses, cerca de 5.000 russos trocarão seus assentos na universidade e escritórios ​​por um beliche no quartel. Entenda o porquê de mobilização anual.

Na última segunda-feira (19), o presidente Vladimir Putin assinou um decreto estipulando a convocação dos militares da reserva das Forças Armadas russas.

“O objetivo principal é atualizar o conhecimento que as pessoas esquecem depois de concluir o serviço militar ou se formarem em uma universidade militar. Não é uma preparação para guerra em larga escala ou uma campanha militar em um país em desenvolvimento”, diz o analista do jornal ‘Izvêstia’ Dmitri Safonov.

O presidente assina anualmente um decreto convocando militares aptos a cumprir o serviço no corpo e estão na reserva. Ao longo de dois meses, cerca de 5.000 civis são adicionados ao Exército e participam de treinamentos regulares.

“Eles podem ser estudantes nos últimos anos de uma universidade que tenha departamentos militares e homens com especialidades e habilidades que as Forças Armadas carecem no momento, mas que são muito necessários em eventos de grande escala. Por exemplo, durante as manobras de grande escala da Západ-2017, em que foram convocados jovens que viviam perto da região dos exercícios”, diz Safonov.

Segundo o analista, há carência, por exemplo, de programadores e pessoas com habilidades de computação. “E como o Exército obtém uma quantidade significativa de tecnologia de alta tecnologia, mais e mais especialistas altamente qualificados são necessários para trabalhar com isso e fazer a manutenção”, explica Safonov.

Os reservistas realizarão todos os tipos de atividades militares, juntamente com suas especialidades profissionais. Eles terão que marchar e ir para um campo de tiro. Alguns terão que aprender a disparar pistolas, fuzis automáticos, metralhadoras, rifles de precisão; outros, irão aperfeiçoar suas habilidades.

Reservistas convocados para treinamento, em uma base de armazenamento, manutenção e reparação de equipamentos militares em Novosibirsk

“Uma pessoa precisa estar pronta para realizar uma determinada tarefa em caso de guerra. Pessoas com habilidades técnicas terão que dirigir e abastecer tanques, veículos blindados e sistemas de artilharia. Alguns podem até ter que dirigir essas máquinas para o campo de tiro”, diz o especialista militar. “Essas manobras são feitas sobretudo para que as pessoas não esqueçam como defender a pátria.”

Quem pode voltar ao Exército?

Qualquer cidadão russo que esteja na reserva pode receber um aviso de convocação. Isso inclui, em termos gerais, qualquer homem até 60 anos de idade.

“Não houve casos como este em tempo de paz, mas por lei é possível. Geralmente, soldados e oficiais em reserva é que são convocados. Pessoas que geralmente não têm mais de 30 anos. Os velhos não são chamados porque há um grande contingente de jovens”, diz Viktor Murakhovski, editor-chefe da revista russa “Arsenal da Pátria”.

Motorista de caminhão em base de Novosibirsk

Além de programadores, especialistas das tropas de infantaria, costa e mísseis mecanizados, bem como engenheiros e operadores de comunicação estão em maior demanda, acredita Murakhovski. “Mas, novamente, aqueles que são chamados são necessários apenas por um tempo específico”, destaca.

As pessoas convocadas para fazer o serviço militar que estavam trabalhando em empresas recebem um subsídio diário de US$ 8 a 10 acima do salário médio mensal. “Este não é um bônus ruim para pessoas do interior da Rússia, onde um bom salário mensal, no dinheiro de hoje, é de cerca de US$ 500. Ressalto que esse valor está de acordo com a taxa de câmbio atual ”, acrescenta Murakhovski.

Os reservistas convocados para o serviço também podem obter uma patente militar mais alto mediante desempenho. “Não há responsabilidade criminal por se recusar à convocação. Apenas um aviso administrativo, ou uma multa de até US$ 10”, diz.

Quer saber como se tornar um soldado do Exército russo? Leia aqui

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail?
Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies