Aleksandra Trusova é promessa da patinação artística

Vladimir Pesnya/Sputnik
Com apenas 13 anos, a russa conseguiu fazer dois quads em uma competição.

No último sábado, 10 de março, a patinação artística russa atraiu a atenção do mundo todo para um novo talento do esporte. Com apenas 13 anos, Aleksandra Trusova ganhou o título feminino no Mundial Júnior de Patinação Artística no Gelo, ocorrido em Sofia, na Bulgária.

Ela se consagrou após executar uma sequência dois quads, um salto quádruplo no ar, durante sua apresentação na prova de free-skating.

Foi a primeira vez que uma mulher fez esses movimentos durante uma competição. Ela também foi a segunda na história a fazer um quad rotativo completo nos jogos.

Quem realizou a proeza antes foi o japonês Miki Ando, que fez um quad Salchow (um movimento específico de salto rotativo) na final de 2002 do Junior Grand Prix.

Trusova fez tanto o primeiro quad Salchow e o primeiro quad toe loop de uma mulher em competições.

"Estou muito feliz por ter ganhado, mas mais feliz ainda por ter conseguido fazer os dois quads", disse a patinadora para a União Internacional de Patinação Artística.

"Depois que voltei ao solo após os giros eu estava eufórica, mas sabia que ainda tinha todo o resto da minha coreografia para fazer. Faltavam três combinações difíceis e eu precisava me concentrar", explicou.

Ela obteve a pontuação de 225,25 em Sofia e esta foi a sétima vez que um atleta russo ganhou a competição na categoria júnior em oito anos. Por conta da pouca idade, ela não poderá competir como sênior até 2020.

A treinadora de Aleksandra é Eteri Tutberidse, que também trabalha com outras estrelas russas da patinação artística no gelo, como as medalhistas olímpicas Alina Zaguitova e Evguênia Medvédeva.

Segundo a própria Aleksandra, os saltos são o que ela mais gosta de fazer na patinação artística.

Nascida na cidade russa de Riazan (196 km a sudeste de Moscou), Aleksandra começou a patinar no gelo em 2008. Depois mudou-se para Moscou e, em 2016, entrou para o time de Tutberidze.

Como ela chegou aos dois quads

Aleksandra revelou ter usado um tipo especial de calça enquanto aprendia e treinava os quads para evitar ferimentos.

"Eu não giro muito rápido. O que me ajuda a coordenar isso é a altura dos meus saltos. Acredito que eu tenha facilidade natural para saltar bem alto. Se você treina todos os dias, conseguirá fazer, é só não ter medo. Eu apenas queria e não me detive, pois acho que quando alguém quer algo, consegue", disse a atleta.

Outras pessoas acreditam que o físico de Aleksandra ajude: ela tem apenas 1,48 m de altura e não deve pesar mais que 35 quilos. Um corpo pequeno assim facilita que ela faça saltos com múltiplos giros.

Eteri Tutberidze, a treinadora de Trusova.

A jornalista Daria Tuboltseva, do site russo especializado em esportes "Championat", argumenta que quanto mais alto e pesado é um patinador, mais difícil é para ele manter o equilíbrio durante uma performance de saltos tão complexos e perigosos.

Ela também aponta que quando o corpo de Aleksandra começar a mudar com a puberdade será mais difícil repetir essas proezas. Sem contar o risco maior de acidentes.

"Se ela conseguirá fazer esses saltos quando for sênior, nós só podemos esperar para saber. Nossos treinadores a descobriram, treinaram e agora é responsabilidade deles fazer com que ela mantenha suas habilidades", diz Tatiana Tarasova, treinadora russa de patinação artística e conselheira do time nacional da modalidade.

Aleksandra Trusova tem apenas 1,48 m de altura.

Como a própria Aleksandra diz, os saltos são o que ela mais gosta de fazer no esporte, mas ela também gosta muito de treinar.

"Agora que comecei a participar dos campeonatos mundiais e do Grand Prix, isso se tornou meu trabalho. Mas também tenho muito prazer no que faço", disse.

Gostou? Então leia “Entre medalhas e recordes, patinadoras russas dão o tom nas Olímpiadas”.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? 
Clique 
aqui para assinar nossa newsletter.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies