Russo típico: quem é, o que faz, de que se alimenta? Não perca no Russia Beyond!

Grigory Avoyan
Com o aumento da inflação, cidadãos do país passaram a economizar em alimentos, mas, apesar da moderação, consumidor típico pega mais de R$ 5.000 emprestados no banco para comprar últimos modelos de iPhone.

O russo típico se chama Aleksandr Ivanov (o nome e o sobrenome mais populares da Rússia), tem 40 anos e trabalha no varejo ou como motorista. Ele mora em apartamento com a esposa, em uma cidade com uma população de menos de um milhão de habitantes,  e tem dois filhos e um gato.

O cidadão típico russo não ganha muito: seu salário é de cerca de 39 mil rublos (R$ 1.725) ao mês, a média no país.

Como 46% dos russos , Aleksandr e sua família admitem que suas finanças passam por tempos difíceis, mas conseguem comprar tudo o que é necessário.

Aleksandr não tem carro porque é muito caro manter um, e prefere usar o transporte público, que –é barato no país, custando entre 20 e 30 rublos (R$ 1,15 a R$ 1,75) por viagem. No trabalho, ele almoça em um restaurante simples, onde paga cerca de 200 rublos (R$ 11,5) todos os dias.

Depois do trabalho, o russo médio vai a algum supermercado local que ofereça descontos regulares. Devido à inflação, Aleksandr precisa economizar mesmo em alimentos, mas ainda gasta cerca de 586 rublos (R$ 33,70) toda vez que ele vai ao mercado.

Frango, arroz, leite, pão, manteiga e verduras estão entre suas compras mais frequentes. Em ocasiões especiais, ele compra álcool, principalmente vodca, cuja garrafa de meio litro custa pelo menos 200 rublos (R$ 11,5).

Ele também compra ração para gatos, lápis e cadernos escolares para os filhos - tudo por cerca de 300 rublos (R$ 17,25). Normalmente, ele gasta cerca de 3 mil rublos (R$ 172,50) por mês com os filhos.

Ele não gasta dinheiro em cigarros porque não fuma e tenta economizar em medicamentos comprando os genéricos russos, mais baratos. No entanto, ele não se recusa a doar para a caridade e, por vezes, transfere até 500 rublos (R$ 28,75) para organizações beneficentes.

Em casa, Aleksandr compartilha um computador com os filhos e gasta pelo menos 400 rublos (R$ 23) por mês em acesso à internet.

O russo típico prefere comer em casa, e ir a um restaurante é uma ocasião especial e significa gastar de um a dois mil rublos (de R$ 57,50 a R$ 115) para jantar com a esposa e os dois filhos.

Planos para o futuro

Depois de gastar 14 mil rublos (R$ 805) nas celebrações de Ano Novo e em presentes para familiares, Aleksandr volta a apertar os cintos no orçamento, principalmente porque tem que pagar um empréstimo de cerca de 100 mil rublos (R$ 5.750) pelos dois iPhones 8s que comprou para si e para a esposa.

Aleksandr também costuma planejar as férias, que costuma passar no Mar Negro. Geralmente, o russo médio está pronto a gastar cerca de 40 mil rublos (R$ 2.300) nas férias.

Mas, neste ano, isto parece um desafio. Aleksandr não pretende pedir outro empréstimo e acha que economizar é a melhor opção. Se em algum momento ele precisar urgentemente de dinheiro, pedirá a parentes e amigos, ao invés de ir ao banco.

Aleksandr não quer fazer investimentos a longo prazo, assim como 56% dos russos já ouviram falar sobre bitcoins e sabem que qualquer pessoa pode investir neles, mas não consideram esta opção porque ainda não sabem o suficiente sobre as criptomoedas. O melhor investimento, em sua opinião, é comprar imóveis.

No momento, Aleksandr não dispõe de poupanças consideráveis e afirma que cerca de 105 mil rublos (R$ 6.037,50) seriam o bastante para fazê-lo feliz.

Neste artigo foram utilizados dados do Serviço Federal de Estatísticas da Rússia (Rosstat), Centro de Estudos de Opinião Pública VTsIOM, Centro de Pesquisas Romir, Centro de Pesquisas NAFI, Instituto de Opinião Pública Levada, dos sites Gazeta.ru e m24.ru e do jornal Rossiyskaya Gazeta.

Gostou? Então leia nosso “Guia definitivo de mitos e verdades sobre estereótipos russos”.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? 
Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais