Máfia de mendigos e outros golpes a evitar na Rússia (mas também como ajudar)

Criminosos se profissionalizam na Rússia para enganar doados e obter recursos que seriam destinados a causas nobres.

Nas cidades russas, é melhor não dar dinheiro a um mendigo na rua, porque grande parte deles não são o que parecem. Confira abaixo cinco tipos de charlatões para se esquivar durante estadia na Rússia, junto com as melhores alternativas para doações de caridade.

Mendigos profissionais

Tem todo tipo de pessoa pedindo ajuda na rua: vovós de aparência humilde que “precisam de dinheiro para uma operação”; “veteranos de guerra” de uniforme militar, e muitas vezes sem algum membro; e mulheres grávidas ou com criança de colo.

Mas muitas vezes esses indivíduos são apenas personagens. Segundo o site de assistência social Takie Dela (“E assim vai”), essas pessoas podem fazer parte de uma máfia de mendigos: “O dinheiro que eles coletam vai para os ‘curadores’, que atendem as suas necessidades. É um negócio, intimamente ligado ao crime, e apoiar isso é imprudente”.

Conselho: se quer realmente ajudar essas pessoas, tente fazê-lo sem dar dinheiro. Em vez disso, ofereça o que eles dizem precisar (comida, bilhete de ônibus ou trem e etc.).

Moradores de rua

Estar no meio da rua em uma grande cidade, sem lugar para dormir ou qualquer comida, é uma ideia assustadora; por isso, é natural simpatizar com os moradores de rua, sobretudo durante o rigoroso inverno russo. Mas, mesmo assim, é bom evitar dar dinheiro diretamente, porque nunca se sabe se será realmente usado para comida. Muitos moradores de rua têm problemas com álcool e gastarão tudo na próxima garrafa. Além disso, essa prática pode ser perigosa: ficar bêbado do lado de fora no inverno pode fazer com que a pessoa perca a consciência e morra por exposição ao frio.

Conselho: compre comida você mesmo e dê ao morador de rua. Ajude-o a contatar organizações que possam providenciar abrigo e faça a ponte com serviços sociais.

Em Moscou: +7 (495) 720-15-08, +7 (903) 720-15-08 (serviço de patrulhamento social)

Em São Petersburgo: +7 (812) 407-30-90 (Nochlezhka, organização de caridade)

Voluntários pagos

Essas pessoas de aparência respeitável, muitas vezes jovens, estão por todo lado com caixinhas para coletar dinheiro que supostamente irá ajudar um orfanato, um abrigo de animais ou outra causa digna. Mas eles não são realmente voluntários.

Na melhor das hipóteses, estão coletando dinheiro para um grupo questionável que leva uma enorme quantidade de doações para si. Ou, talvez, nem haja qualquer orfanato ou abrigo, e as pessoas pagas como “voluntários” sequer sabem disso.

“Nenhuma entidade séria arrecada recursos coletando dinheiro na rua”, sugere o Takie Dela, citando Vladimir Berkhin, o diretor do fundo de caridade Predaniye (Tradição). “Essas histórias cheiram mal, e você deve evitar participar delas”, disse Berkhin.

Conselho: Em vez de dar dinheiro a estranhos, doe para uma instituição de caridade conhecida. Entre as associações de instituições na Rússia, vale a pena pesquisar os trabalhos de Vsye Vmeste (“Todos juntos”) e Nuzhna Pomosh (“Ajudar é necessário”).

Vsye Vmeste: +7 (495) 648-90-02; info@wse-wmeste.ru

Nuzhna Pomosh: +7 (495) 641-02-86; mne@nuzhnapomosh.ru

Falsos protetores dos animais

Algumas pessoas que dizem protetores dos animais na Rússia usam cães como adereços, caminhando na rua ou estações de metrô, geralmente com uma placa: “Preciso de dinheiro para alimentar o cão” ou “Arrecadando dinheiro para um abrigo de animais”. Segundo Natália Bistrova, diretora de um abrigo para cachorros de rua e abandonados, trata-se de uma “rede comercial e nada mais. Todos aqueles que pedem dinheiro usando usar animais são impostores”, disse ao jornal “Argumenty i Fakty”. Pior ainda, os cachorros que esses trapaceiros usam para os golpes são muitas vezes dopados para que permaneçam calmos e parecem sofridos para os transeuntes.

Conselho: não dê dinheiro aos mendigos com animais. Para ajudar os animais desabrigados, doe para uma instituição de caridade conhecida, como a PET, em Moscou.

Idosos ou crianças no transporte

Tenha cuidado quando alguém se aproximar pedindo alguns rublos para pegar ônibus ou metrô, especialmente se for uma pessoa idosa ou uma criança. Não é que eles sejam criminosas; é que essas pessoas podem nem saber o que estão fazendo ou para onde estão indo. Em uma grande cidade, como Moscou, por exemplo, ambos são vulneráveis.

Conselho: pergunte à pessoa para onde ela está indo. Se ela parecer perdida, entre em contato como LizaAlert, um grupo sem fins lucrativos que procura e ajuda indivíduos que estão desaparecidos, no telefone +7 (800) 700-54-52.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? 
Clique 
aqui para assinar nossa newsletter.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies