Vídeo: soldado russo incendeia tanque de US$ 500 mil enquanto cozinhava

Em setembro passado, uma corte militar sentenciou o soldado a cumprir seis meses de serviço em um batalhão disciplinar.

Em setembro passado, uma corte militar sentenciou o soldado a cumprir seis meses de serviço em um batalhão disciplinar.

Vitaly V. Kuzmin/Wikipedia
Tanque foi destruído enquanto militar esquentava latas de comida.

Um soldado do exército russo causou um incêndio que destruiu um tanque de guerra avaliado em cerca de US$ 500 mil ao tentar esquentar algumas latas de comida. O vídeo em que o soldado tenta conter seu nervosismo ao explicar o acidente para um grupo de homens (provavelmente seus oficiais) foi divulgado no YouTube este mês.

No diálogo, o soldado Semyon Merezhnikov tenta explicar o ocorrido, enquanto pessoas gritam ao fundo:

- Agora, olhe para mim, ****! Como essa ***** aconteceu? Pode me explicar?!?

- Eu estava tentando esquentar um pouco de comida…

- Onde você tentou esquentá-la, *****?

- Aqui… Eu tentei colocar fogo em um pouco de grama.

Ao fundo, ouvem-se gritos e palavrões e é possível ver o veículo armado em chamas. Esta certamente foi a refeição mais cara da vida de Merezhnikov.

Uma testemunha disse que o tanque BTR-82 estava camuflado com uma tela e grama seca, por isso pegou fogo tão facilmente. 

Apesar de o vídeo ter sido divulgado este ano, o incidente aconteceu em maio de 2017. Em setembro passado, uma corte militar sentenciou o soldado a cumprir seis meses de serviço em um batalhão disciplinar. Da próxima vez em que ele ver uma caixa de fósforos, pensará duas vezes antes de usá-la.

Este não foi o único acidente envolvendo veículos militares russos nos últimos tempos. Veja a história de um homem bêbado que roubou um tanque apenas para conseguir mais bebida.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies