9 fatos que apenas os russos entenderão

Não esqueça a comida para viagem e jamais sorria no transporte público.

Mesmo que você já tenha vivido na Rússia por muitos anos, que goste muito de dill e consiga beber vodca sem ficar bêbado, há alguns aspectos do cotidiano na Rússia que são difíceis de entender. Mas tentaremos explicar.

1. O carinho das “babushkas”

A babushka (vovó, em russo) é mais que apenas uma avó; é um estilo de vida. Você não pode se considerar uma verdadeira babushka se não perguntar a seus netos três ou quatro vezes por dia se eles se alimentaram direito ou se não viver reclamando que eles não se vestem com casacos o suficiente, mesmo que eles já tenham mais de 30 anos.

Uma das principais características das babushkas é que ela sempre está cozinhando como se uma guerra estivesse prestes a acontecer. No verão, elas fazem picles com vegetais e litros de geleias com frutas e quase tudo o que comem é produzido por elas mesmas. No inverno, elas fazem litros de borsch, quilos de panquecas e tentam fazer você beber o máximo de chá possível. Não satisfeitas, elas ainda tentam convencê-lo a levar comida para viagem (para o caso de você ficar com fome no caminho).

2. Sentar antes de viajar, um ritual

Após visitar sua babushka você certamente se verá carregando um monte de sacolas de comida para casa, e há muitas coisas que você deve fazer antes de ir embora.

Primeiro, sentar-se antes de começar uma longa jornada é quase um ritual sagrado. Você pode sentar-se em cima de sua mala, por exemplo. Claro que isso é uma superstição, mas os russos a levam muito a sério.

Segundo, se você esteve numa festa ou apenas tomou alguns drinques na casa de um amigo e quer ir embora, alguém irá sugerir que você beba “на посошок”. Fique preparado: isso significa beber até o fim, não importa o que aconteça, antes de pegar o caminho para casa.

3. Sementes de girassol para aliviar o stress

Se você ver alguém comendo sementes de girassol, então provavelmente significa que está na Rússia. Ou se ver mulheres conversando enquanto mastigam sementes de girassol… definitivamente está na Rússia. Ao comê-las, você deve cuspir a casca no chão, formando um pequeno monte. Outra opção é cuspir em um jornal velho, caso esteja em casa.

As sementes de girassol são como pipoca: você não consegue parar de comer até chegar ao fim do pacote. Comer essas sementes é uma arte, especialmente quando se tenta separar a casca usando apenas os dentes e a língua (sem as mãos!).

4. Comércio “pop-up” na beira da estrada

Se você viajar por uma rodovia de Moscou no inverno, pode ver uma estranha pirâmide de garrafas plásticas com um líquido azul dentro. Além disso, essa pirâmide geralmente estará no capô de um carro, cujo dono estará vendendo fluidos de limpeza anticongelantes. Devido ao frio cortante, seu fluido de limpeza pode congelar, e as estradas são tão sujas no inverno que seu estoque de fluido pode acabar antes do fim da viagem, e você não conseguirá enxergar nada.

Então, de repente, você vê um desses heróis do time de resgate anticongelante. A legalidade do negócio é questionável. Além disso, embora a qualidade desses líquidos possa parecer melhor do que a dos comprados em lojas, substâncias químicas proibidas podem ser usadas em sua produção. (Não respire perto do parabrisa logo após aplicar o líquido).

Congestionamentos gigantes, especialmente em estradas de Moscou, fizeram surgir milhares desses comerciantes na Rússia. Eles andam entre as faixas vendendo flores, café ou carregadores de celular. Antes do Dia da Vitória (comemoração do fim da Segunda Guerra Mundial), vendem adesivos e pequenas bandeiras russas.

5. Uma sacola para suas sacolas

Lojas de comida na Rússia geralmente oferecem sacos plásticos para colocar as compras. Mas os russos nunca jogam suas sacolas fora! Elas podem ser usadas como sacos de lixo ou para outras funções. No fim, toda família russa tem uma enorme sacola plástica onde guarda todas as outras sacolas.

“E se precisar algum dia?”, os russos geralmente falam. Eles também não conseguem jogar fora as belas caixas de doces, por isso as usam para guardar pequenas coisas, como botões. As caixas mais bonitas podem até ser usadas para guardar joias.

6. Nunca sorrir no transporte público

Como você já deve saber, os russos não sorriem muito, mas há exceções. Eles podem sorrir se você parecer estranho e estiver despenteado, ou se tiver esquecido de vestir as calças. Por isso, se você ver alguém no metrô ou no ônibus olhando para você e sorrindo, dê uma conferida em um espelho ou na câmera do celular para saber o que está errado.

7. Sempre guarde seu casaco

De outubro a maio, a maioria dos prédios públicos na Rússia oferecem um serviço para guardar os casacos gratuitamente. Na verdade, ele geralmente é obrigatório, e você pode ser impedido de entrar em um teatro, restaurante, museu, hospital ou escritório se continuar vestindo o casaco.

O serviço sempre é gratuito, mas não perca o comprovante! Nesse caso, você será multado e receberá olhares de reprovação das senhoras que guardam os casacos.

Esta regra para guardar o casaco não é uma lenda. Durante os invernos, os russos às vezes usam enormes casacos e estolas de pele. Além disso, os casacos costumam ficar sujos e molhados com a neve. Você não ficaria feliz ao sentar-se no teatro Bolshoi ao lado de um “homem das neves”, com neve derretendo em cima de você.

As escolas russas também pedem aos estudantes que troquem os sapatos, e nos escritórios as pessoas costumam tirar suas enormes botas de pele para usar outros sapatos.

8. Catracas agressivas

As catracas são estruturas que não permitem a entrada em um lugar a não ser que você tenha um bilhete ou ingresso. Mas as catracas russas são diferentes. Elas parecem um caminho aberto e convidativo, mas, no momento em que você acredita que pode passar sem um ingresso, braços mecânicos se movem para bloquear seus quadris. Mesmo que você tenha colocado um bilhete na catraca, se demorar demais para passar, “poft!”: será atingido.

Apenas recentemente as antigas catracas começaram a ser trocadas por outras mais amigáveis, com portas que se abrem. Mas em cidades menores (e em idosos russos que se lembram dessas coisas) o medo de ser atingido por uma catraca permanece.

9. Sentar-se à mesa

Há uma passagem no livro “A Filha do Capitão”, de Alexander Pushkin, que diz: “Que Deus permita que nunca mais vejamos uma revolta tão impiedosa e sem sentido”. O mesmo pode ser dito de uma mesa russa após um banquete ou zastolye (expressão derivada da palavra ‘mesa’). Há vários tipos de pratos, incluindo 15 aperitivos, três ou quatro saladas de maionese e três tipos de prato principal, além de muito álcool. As pessoas se sentam à mesa por muitas horas e, se for um grande evento, ficam ali até meia-noite.

O símbolo dessas refeições é um lobo da antiga animação soviética “Era uma vez um cão”. Por acidente, o lobo apareceu em um casamento e sentou-se embaixo da mesa, comendo tudo o que davam para ele. Finalmente, ele ficou com uma barriga tão grande e estava tão bêbado que decidiu cantar. Este é um dos passatempos preferidos dos russos - cantar músicas à capela quando bêbados, uma das formas de música mais profundas que você irá ouvir.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies