5 passos para comprar uma casa própria na Rússia

Tem certeza de que quer permanecer no maior país do mundo e já não aguenta mais pagar aluguel ou aturar os proprietários? O próximo passo pode ser, então, comprar uma casa própria. Siga os 5 passos abaixo para não enlouquecer com a burocracia.

Depois de saber como sobreviver à caça um apartamento para alugar em Moscou, vamos ainda mais longe. Para descobrir o que é necessário fazer para comprar o seu primeiro apartamento ou outra propriedade na Rússia, o Russia Beyond conversou com especialistas da Agência Russa de Crédito Imobiliário (AHML).

Na Rússia, não há restrições para pessoas ou empresas estrangeiras que desejem comprar um imóvel. Somente em alguns casos específicos é proibida a aquisição de terras – o que se aplica sobretudo a terras cultiváveis ​​(que só podem ser alugadas), zonas fronteiriças do país, territórios de extração de petróleo e gás, áreas dentro de instalações militares e parques nacionais, ou nas chamadas “cidades fechadas”.

É importante ressaltar, porém, que, ao contrário de muitos países, adquirir uma propriedade na Rússia e registrá-la não altera o status de imigração do comprador, pois se tratam de= processos absolutamente diferentes.

1. Escolha do apartamento

Na planta:

Na Rússia, assim como no Brasil, é costume comprar apartamentos ainda na planta. Nesses casos, a construtora não investe fundos próprios ou emprestados, mas o capital dos futuros proprietários dos apartamentos. Quando se opta por uma propriedade que em construção, é preciso, obviamente, esperar um bom tempo para entrar no imóvel, mas, por outro lado, o comprador tem mais influência sobre o aspecto final do apartamento em questão. Além disso, esses imóveis podem sair bem mais em conta.

Pronto:

Para comprar um apartamento novo cujo prédio já foi finalizado, é preciso muita sorte, especialmente em torno de grandes cidades como Moscou, São Petersburgo, Níjni Novgorod e Kazan, entre outros centros urbanos russos. Isso porque é difícil achar apartamentos desocupados quando a construção finalmente chega ao fim.

Nesses casos, a opção mais conveniente é comprar um apartamento já usado. 

Um, dois ou 20 cômodos?

Em prédios recém-construídos, é possível encontrar muitos apartamentos de um dormitório, porque, na maioria desses imóveis russos, a sala de estar geralmente também funciona como um quarto. Apenas nas principais cidades é que as construtoras começaram a construir apartamentos novos de dois quartos ou mais.

Em blocos de apartamentos mais antigos, não é raro encontrar apartamentos enormes, com cerca de seis, sete ou até mesmo dez quartos. Na época soviética, eles eram usados frequentemente como “komunalkas” (apartamentos comunais para várias famílias), mas esses imóveis são geralmente vendidos somente por quarto. E, para descobrir quem ainda está registrado no local, pode ser bastante complicado. 

2. Escolha da região

Outro aspecto importante é a localização de sua nova casa. Para ajudar a entender as diferentes regiões do país, vale a pena conferir o Índice AHML de Ambiente Urbano.

Aqui no Russia Beyond, também é possível saber quais cidades russas se tem a melhor qualidade de vida e as vantagens oferecidas em cada uma das alternativas. 

3. Procura por corretor

É recomendável buscar um corretor de imóveis local com conhecimento de sua língua materna. Nas cidades maiores, pelo menos, existem muitas agências, bem como corretores de imóveis particulares, que oferecem serviços em inglês e outros idiomas.

O corretor será muito essencial para verificar os documentos de registro da futura propriedade: a escritura do móvel e as exigências para compra, e até mesmo opções de financiamento imobiliário mais adequadas às suas condições financeiras.

Esse profissional também saberá como provar se ainda há alguém registrado no apartamento em questão ou não – se alguém já estiver registrado, a pessoa poderá repentinamente decidir morar com você na casa “dela” (e terão a lei a seu lado!).

4. Pagamento e empréstimos

Para realizar o pagamento, há duas opções:

No ato:

Embora seja uma opção para (muito) poucos, quem tem dinheiro suficiente para quitar o total do apartamento evita grande parte do estresse burocrático. Nesse caso, é preciso apenas ter uma conta bancária na Rússia para facilitar as transações monetárias.

Pegue um empréstimo:

Essa opção é a mais comum entre os compradores, embora a quitação do imóvel leve ou décadas. É importante estar ciente, porém, de que a taxa de juros média atualmente é de cerca de 11%, mas apresenta uma tendência descendente.

Obter um empréstimo imobiliário no país não é tão fácil para estrangeiros. Primeiro, nem todos os bancos oferecem esse serviço, porque é impossível verificar o histórico do solicitante. Há, no entanto, alguns programas especiais para estrangeiros oferecidos pelo Sberbank (o maior banco da Rússia) e o banco on-line Tinkoff. Para obter detalhes, basta perguntar em uma agência local ou dar uma olhada em seus sites.

5. Fechando negócio

Por conta própria:

Para concluir o contrato de compra e venda, você precisa de um passaporte com um “apostile” (documento que reconhece a firma e certifica a qualificação do signatário) do Brasil e tradução juramentada de todos os documentos originais. Depois, o Ministério do Interior brasileiro e a embaixada da Rússia irão checar as informações.

Por meio de representante:

Também é possível escolher um representante – de preferência, um cidadão russo – para fechar o negócio. Assim, não será preciso obter todas as traduções e carimbos.

O contrato em si deve ser em russo, portanto, esta opção é vantajosa para ter alguém com quem discutir todos os detalhes além do corretor de imóveis e da construtora. Ainda assim, ambos deverão provar que você tem um visto válido, uma autorização de trabalho ou status de residência permanente na Rússia.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies