Estrangeiros podem mandar os filhos para a escola pública na Rússia?

Crianças que não são nativas no russo devem ter um nível básico do idioma para frequentar a escola pública.

Crianças que não são nativas no russo devem ter um nível básico do idioma para frequentar a escola pública.

Sergey Pyatakov/RIA Novosti
Principais obstáculos para estrangeiros que querem mandar seus filhos para as escolas locais russas é conseguir status de residente e ter conhecimentos suficientes em língua russa.

Uma das primeiras questões levantadas por estrangeiros que se mudam para a Rússia a trabalho é se seus filhos têm direito de estudar nas escolas locais. Eles podem, certamente, escolher escolas particulares, mas e quanto às públicas?

Filhos de estrangeiros com residência na Rússia têm direito a educação gratuita na Rússia sob as mesmas condições dos cidadãos locais. Mas isso só acontece após o recebimento do status oficial de residentes no país, de acordo com o Ministério da Educação russo.

Os pais devem enviar um formulário à escola escolhida, além de certidões de nascimento e registro no país, formulário médico e número individual de seguro de saúde (SNILS), que pode ser adquirido por todos os moradores legais da Rússia e por seus filhos.

O formulário deve ser preenchido em russo no portal de serviços públicos da Federação da Rússia. Após se registrar, um dos pais pode encaminhar o requerimento, que funciona para Moscou até 15 de dezembro.

O requerimento é lido e respondido em até 30 dias. Depois disso, a escola envia um convite e os documentos requeridos devem ser enviados impressos.

Perto de casa

O portal de serviços públicos oferece três escolas para escolha dos pais, uma delas sendo localizada no bairro em que a residência da família está registrada.

Os pais podem pedir para enviar seus filhos para áreas diferentes, mas não há garantia de que isso aconteça, segundo a diretora do Ginásio N° 1504 de Moscou, Nadejda Charai.

O candidato é considerado após o grupo principal de crianças, acrescenta Charai. As crianças podem frequentar uma escola local ou escolher a educação escolar em casa, com exames e certificações ocorrendo na escola local.

De qualquer maneira, elas devem estudar: a educação é obrigatória para menores na Rússia.

Se os pais não matricularem seus filhos, os escritório de serviços infantis municipais tem o direito de responsabilizá-los legalmente e até deportar seus filhos.

Só com russo

Entrar na escola é meio caminho andado. Mas só meio. A outra metade é estudar. A educação só é possível com um conhecimento adequado da língua russa. Uma criança que não fala russo pode diminuir o rendimento de toda a classe.

Para resolver este problema, o Ministério da Educação lançou diversos programas para ajudar as crianças a aprender o russo. Uma delas foi a criação, em 2006, de escolas especializadas em língua russa. Elas são uma subdivisão do sistema público escolar russo.

No curso do ano escolar, as crianças que não falam russo nativo devem alcançar um nível de conhecimento básico da língua, necessário para avançar nos estudos.

De acordo com a chefe do programa de língua russa da escola n° 157, Sevda Seidova, os principais temas dos estudos são gramática e fonética, que também são combinados com aulas de habilidades manuais e educação física.

A lição de casa é geralmente feita com a ajuda do professor, porque os pais geralmente também não falam russo.

Após um ano de estudo, a criança recebe recomendações psicológicas e pedagógicas para a futura educação em uma escola pública, de acordo com Seidova.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies