Por que os trens de passageiros russos são tão lentos?

Kirill Сhipítsin/TASS
Tanto russos, como estrangeiros reclamam frequentemente que os trens da Rússia são geralmente mais devagares que os de outros países... Será?

Apesar de os trens russos serem conhecidos por sua pontualidade, eles são notavelmente mais lentos que os trens de outros países europeus.

A velocidade máxima de trens de longa distância movidos por locomotivas elétricas é entre 100 km/h e 120 km/h, raramente atingindo 140 km/h. Já os trens de longa distância na Alemanha, Espanha, França e Turquia costumam ser de alta velocidade, pois podem atingir velocidades de até 320 km/h.

O trem mais rápido da Rússia, chamado de “Sapsan”, liga Moscou a São Petersburgo e Níjni Nôvgorod e viaja a uma velocidade máxima de apenas 250 km/h. Por quê?

Trens de carga lentos

Um dos motivos dessa “baixa” velocidade é a lentidão dos trens de carga, que normalmente utilizam os mesmos trilhos dos trens de passageiros.

“É mais fácil colocar a mochila nas costas e caminhar até Vladivostok que chegar lá de trem de carga, cuja velocidade média é de apenas 18 quilômetros por dia”, disse Arkádi Dvorkôvitch em 2014, quando ainda era vice-premiê.

Pouco mudou desde então. Na verdade, o problema é grave e é causado não apenas pelos trens, que já são lentos, mas também pela baixa capacidade de tráfego dos trilhos.

Teoricamente, é possível acelerar os trens de carga, mas isso exigiria muitos investimentos em uma nova infraestrutura - que provavelmente resultaria em um aumento nos preços dos bens transportados, como o carvão, por exemplo.

Para evitar esse resultado indesejável, os trens de carga conitnuam lentos e os trens de passageiros - que teoricamente poderiam ir muito mais rápido - são forçados a adaptar sua velocidade à programação dos lentos trens de carga.

‘Gargalos’

Outro motivo para a baixa velocidade média dos trens de passageiros na Rússia são os chamados “gargalos”, partes das rotas com baixa capacidade de tráfego, onde os trens ficam congestionados e têm que esperar a sua vez para passar.

A maioria desses gargalos fica localizada ao longo da ferrovia Transiberiana, a principal via de transporte do país.

“Na Rússia, 20 por cento das linhas ferroviárias levam 80 por cento do tráfego de carga e 80 por cento das outras linhas ferroviárias levam apenas 20 por cento do tráfego de carga”, explica o chefe do Departamento de Pesquisa de Transporte Ferroviário do Instituto de Monopólios Naturais, Vladímir Savtchuk, em entrevista ao jornal russo Kommersant.

Ele também afirma que a empresa Russian Railways (o monopólio estatal que administra o transporte ferroviário na Rússia) está interessada em desenvolver principalmente esses 20% dos trilhos, deixando o restante um pouco de lado. Isto resultaria na redução da velocidade média dos trens de carga e de passageiros em geral.

“Em nosso país, existem muito poucos trilhos que não têm entroncamentos que possam suportar a capacidade total dos trens de alta velocidade”, diz Sofia Dorofeieva, a primeira mulher na Rússia a se graduar como condutora de trens.

Mudança para economia de mercado

A mudança de economia planejada pelo Estado para mercado livre que ocorreu na Rússia após a queda da União Soviética em 1991 também causou problemas para os trens.

O sistema ferroviário desenvolvido na União Soviética foi projetado para atender às necessidades da economia planejada pelo Estado, que não dava muita ênfase à exportação.

Quando a Rússia mudou para a economia de mercado, em 1991, havia muitos vagões de carga no país - mais de um milhão no total e aproximadamente 240.000 a mais do que o necessário. Esses vagões de carga vazios atrapalhavam a logística ferroviária que estava se reorientando para as necessidades de importação e exportação da nova economia russa.

À medida que mais e mais cargas começaram a ser enviadas para o exterior, a eficência da antiga infraestrutura falhava e isso resultou em trens mais lentos em geral, já que a velocidade reduzida dos trens de carga também atrasava os trens de passageiros.

Portanto, enquanto o governo russo busca maneiras de melhorar a velocidade dos trens no país, os passageiros mais impacientes podem ir se acostumando com o ritmo vagaroso dos trens russos!

LEIA TAMBÉM: Os homens e mulheres de ferro da Transiberiana

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies