O que significa realmente 'camarada' em russo?

Sputnik
Os personagens do mal soviéticos nos filmes de Hollywood costumam chamar um o outro de “camarada”. Em russo, a palavra é bastante difícil de pronunciar: “továrisch”. Mas existe muito mais por trás de um továrisch do que julga nossa vã filosofia...

Após a Revolução Russa de 1917, as formas de tratamento usadas na Rússia tsarista tornaram-se obsoletas. Então, homens e mulheres pertencentes à nobreza, funcionários públicos e oficiais militares, comerciantes respeitáveis e padres tinham cada um suas formas de tratamento de respeito, similares ao “senhor”, “senhora” e “vós” do português.

Somente pessoas pertencentes ao povo simples, fossem cidadãos urbanos ou camponeses, não tinham uma forma de tratamento determinada. Isto servia para aprofundar ainda mais as desigualdades da sociedade russa e os bolcheviques queriam mudar este quadro.

A Revolução Francesa e o továrisch

Depois de a nobreza ser abolida na França com a Revolução de 1789, os franceses inventaram uma nova forma de tratamento para a pessoas livres: “cidadão”. Até mesmo o antigo rei da França passou a ser chamado de “Cidadão Luís Capeto".

Mas, na Rússia, usar a palavra “cidadão” depois da Revolução estava fora de questão. Isto significaria direitos e liberdades democráticas, como na França, mas os bolcheviques estavam afim de uma estrutura social e estatal diferente: não democrática, mas socialista – por isto do uso de uma palavra diferente.

“Sua lâmpada, továrisch engenheiro!’ É questão de honra para os especialistas soviéticos fazer com que sua experiência e conhecimento sirvam à produção socialista! Saiam dos escritórios, vão para as minas!”.

O socialismo nasceu na Alemanha, e os primeiros socialistas adotaram a palavra “kamrade” como sua forma de tratamento.

Em latim, a palavra “camarada” significa, literalmente, “companheiro de cômodo” e, segundo alguns estudos de linguística, ela era usado para designar, provavelmente, pessoas que compartilhavam um mesmo alojamento durante o estudos.

Após a Revolução Francesa e as revoluções europeias de 1848, “camarada” tornou-se parte de um discurso afetuoso entre pessoas que compartilham as mesmas ideias socialistas e, mais importante ainda, lutavam por elas. Mas os russos não diziam “camarada”, e sim sua própria versão: továrisch.

Irmãos no comércio

“Nossos objetivos são claros, nossas tarefas são determinadas. Vamos ao trabalho, továrischi!” (fala atribuída ao líder da URSS Nikita Khruschóv).

Em russo, “továrisch” significava, inicialmente, não “companheiro”, mas “irmão no comércio”. A palavra vem da raiz “továr”, que significa “mercadoria”, e továrisch era um parceiro em atividades comerciais, aquele com quem uma pessoa comercializava.

Assim, a palavra tinha uma conotação óbvia voltada aos negócios. Entre os cossacos, um membro legítimo da comunidade era chamado de továrisch. O termo também foi usado no serviço público: de 1802 a 1917, existiu o cargo de “továrisch do ministro" – tecnicamente, ele era o vice-ministro.

Após a Revolução, os bolcheviques adotaram rapidamente a palavra továrisch como modo universal de tratamento usada para seus correligionários e os comunistas em geral. Assim como Luís 16, que era chamado de “Cidadão Luís Capeto” depois da Revolução Francesa, o tsar Nikolai Românov passou a ser tratado por “cidadão” – e não por “továrisch”, porque ele não poderia nunca ser um deles.

Além disso, dizer “você não é um továrisch para nós” era um insulto grave entre os bolcheviques. Na década de 1930, esse insulto também podia se tornar letal, pois carregava, intrinsecamente, a acusação de que a pessoa não era comunista, constituindo, portanto, um inimigo da ideologia comunista.

Továrisch ou cidadão?

“Uma atitude humanista e respeito mútuo entre as pessoas. Uma pessoa é amiga, camarada e irmã de outras pessoas

Em procedimentos oficiais, como julgamentos ou em corte marcial (que, aliás, era chamada de "julgamento továrisch" em russo), passou-se a usar o termo "grajdanín" (cidadão). Afinal, um cidadão não é necessariamente um továrisch.

A forma feminina, porém, não se aplicava: “tovarka” foi utilizada por um breve período e logo tornou-se obsoleta. Tratava-se as mulheres da mesma forma que os homens. No entanto, seus sobrenomes ainda tinham terminações femininas, por exemplo, “továrisch Ivânova” (a forma masculina seria “továrisch Ivánov”).

Továrisch Brêjnev: os líderes também eram tratados por továrisch na URSS.

Entre os militares soviéticos (e, mais tarde, russos, ucranianos e bielorrussos), a palavra 'tovarisch' tornou-se a principal forma de tratamento. Os superiores se dirigiam aos subordinados usando sua posição e sobrenome, ou továrisch e sua posição: “Capitão Petróv” ou “tovarisch Capitão”. Os subordinados se dirigiam aos superiores usando apenas továrisch e sua posição: “tovarisch Primeiro-Tenente”, “tovarisch Coronel”.

Na tradição soviética, os líderes do Partido Comunista sempre foram chamados por “továrisch”: továrisch Stálin, továrisch Brêjnev etc.

Hoje em dia

Na Rússia contemporânea, não há um modo de tratamento fechado. Em ocasiões formais, usa-se ​​o “gospodín” (senhor) e “gospojá” (senhora) pré-revolucionários.

“Grajdanín” (cidadão) hoje em dia tem uma carga formal e até hostil, e é um aceno óbvio a tempos soviéticos. “Továrisch” é usado sobretudo com ironia e até para diminuir. Para falar sobre um conhecido, o russo prefere usar “priátel” (“amigo”) ou “znakômi” (literalmente, “conhecido”).

É muito provável que um russo, ao tratar alguém por “továrisch” esteja gozando de uma situação, tentando resolver um conflito ou uma situação desconfortável com uma brincadeira – como alguma das constantes brigas por lugar na fila, atuais até hoje, apesar de não haver déficit no país.

DESCUBRA AQUI COMO PRONUNCIAR TOVÁRISCH:

LEIA TAMBÉM: Você sobreviveria na União Soviética? Faça o teste e descubra

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies