Torcedores deixaram US$ 1,5 bilhão em Moscou na Copa de 2018

Reuters
Apenas um estádio na capital russa precisou ser reformado e duas áreas de torcedores e pedestres criadas, resultando em despesas que foram rapidamente cobertas com os valores deixados pelos turistas estrangeiros ali.

Os torcedores estrangeiros que visitaram a capital russa durante a Copa do Mundo deixaram por lá cerca de US$ 1,55 bilhão, segundo a prefeitura de Moscou.

“O número de torcedores que estiveram na Copa foi de 3,8 milhões, e eles gastaram US$ 1,55 bilhão só em Moscou”, anunciou o prefeito de Moscou, Serguêi Sobiânin, durante o Fórum Urbano de Moscou

Segundo ele, o governo já está conseguindo compensar os gastos com infraestrutura esportiva para a Copa do Mundo.

"Quanto aos custos da infraestrutura esportiva, não preparamos a cidade especialmente para o evento, com exceção de um único estádio, o Lujniki, que foi reformado de acordo com os requisitos da FIFA. As obras dele custaram US$ 400 milhões”, declarou o prefeito.

Anteriormente, o vice-prefeito para habitação e serviços comunitários de Moscou, Piotr Biriukov, declarou que os torcedores não causaram quaisquer danos à capital russa. Ele também afirmou que a cidade não teve despesas especiais devido à grande quantidade de estrangeiros.

Segundo Biriukov, a prefeitura também investiu na construção de áreas especiais para os torcedores e áreas para pedestres ao redor dos estádios.

"Mas esses gastos foram justificados: os turistas deixaram muito dinheiro na capital e, assim, aumentaram as receitas fiscais", disse.

Os jogos da Copa do Mundo de 2018 foram realizados entre 14 de junho e 15 de julho em 12 estádios de 11 cidades russas.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? 
Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies