Os 10 edifícios residenciais mais belos de Moscou (FOTOS)

Prédios de cartão postal e os maiores arranha-céus da Europa - o Russia Beyond reuniu uma pequena lista dos edifícios residenciais mais atraentes da capital e quanto custa morar neles.

  1. Arranha-céu da era Stálin na marginal Kotelnitcheskaia

Um dos sete famosos arranha-céus stalinistas, este edifício residencial possui 700 apartamentos. No passado, os moradores dele se restringiam a membros da intelligentsia.

Foi construído entre 1938 e 1952 como um experimento único - um arranha-céu soviético cujos residentes não precisavam caminhar um quilômetro até a padaria mais próxima. Era uma “cidade dentro da cidade”: havia toda uma infraestrutura no andar térreo, com direito a uma sala de cinema ao lado das lojas e mercados (refletindo o status de seus moradores). Aliás, o cinema Illiuzion ainda segue em operação e foi recentemente reformado.

Custo: a partir de 150.000 rublos por mês (aproximadamente R$ 10.500)

  1. Casa a Céu Aberto/Rendada

Erguido na Leningradsky Prospekt antes da Segunda Guerra, em 1940, este foi um dos primeiros edifícios construídos com painéis de concreto em Moscou. Foi apelidado de Casa 'a Céu Aberto' ou 'Rendada', por causa dos padrões ornamentais nas varandas da cozinha, simultaneamente ocultando os objetos colocados nessa área da casa. Tal solução antecipou um problema de futuros conjuntos habitacionais em massa, nos quais varandas desordenadas (usadas para “armazenar quinquilharia”) estragariam o visual das fachadas.

A Openwork House foi construída para cidadãos soviéticos comuns e a ideia era erguer diversos edifícios semelhantes por toda a Moscou. Supunha-se que seus residentes passariam o dia inteiro no trabalho e, ao fim do expediente, jantariam na cozinha-restaurante do térreo. É por isso que, por exemplo, o interior do edifício tem corredores públicos espaçosos, enquanto os apartamentos em si são pequenos com cozinhas minúsculas. Esses projetos, no entanto, foram interrompidos pela guerra. O edifício continua sendo o único exemplar de seu tipo, e seus primeiros moradores foram oficiais da mais alta patente militar.

Custo: 60.000 rublos por mês (aproximadamente R$ 4.185)

  1. Capital Hill Residence

Esta criação da estrela da arquitetura mundial, Zaha Hadid, foi construída especialmente para o magnata imobiliário russo Vladislav Doronin em meio à floresta de Barvikha, a oeste de Moscou. A mansão deveria ser o presente de casamento de Doronin para a modelo Naomi Campbell, mas, em 2019, foi colocada à venda por um preço “surreal”, de acordo com especialistas do mercado.

A casa, que se parece com um ônibus espacial, possui um terraço a 22 metros de altura e, além dos salões residenciais, conta com uma piscina de 20 metros, um complexo próprio de spa, uma academia, um jardim japonês e até mesmo uma casa noturna.

Custo: 6,4 bilhões de rublos (aproximadamente R$ 446,5 milhões)

  1. Palácio Residencial Isakov

Este palácio em estilo Art Nouveau na Ostojenka, uma das ruas mais caras de Moscou atualmente, foi construído em 1899 pelo banqueiro e proprietário de uma empresa do ramo de construção,  Iakov Rekk. Ele teve a ideia de adornar a capital com casarões elegantes que possuíssem todos os confortos modernos à maneira da Europa Ocidental.

Mais tarde, o edifício foi adquirido por um comerciante de São Petersburgo chamado Isakov, que seguiu como dono até a Revolução de 1917. Em 1925, os bolcheviques entregaram o casarão a uma associação de habitação e mais de 300 pessoas se mudaram para lá. Este edifício continua sendo estritamente residencial até os dias de hoje.

Custo: 600.000 rublos por mês (aproximadamente R$ 41.850)

  1. Edifício da Companhia de Seguros Rossia

O prédio de apartamentos da seguradora, construído no início do século 20, era destinado a clientes ricos, mas rapidamente se tornou popular entre membros da intelligentsia. Tanto é que, na época soviética, abrigou estúdios de literatura, música e arte. Esses apartamentos se tornaram o centro do underground artístico de Moscou. Um dos artistas russos contemporâneos mais caros, Iliá Kabakov, costumava trabalhar ali. Agora, todos os imóveis foram convertidos em moradia de luxo. O prédio fica em frente à sede da petrolífera Lukoil e, segundo relatos, o presidente da empresa, Vagit Alekperov, tem um apartamento no prédio.

Custo: preço médio de um apartamento chega a 100 milhões de rublos (quase R$ 7 milhões)

  1. Noble Row

Este complexo de seis casas no estilo Belas Artes francês foi projetado em colaboração com o escritório Ralph Loren de Nova York. Ele está localizado no meio do ‘Golden Mile’, o bairro mais sofisticado de novos empreendimentos em Moscou, e por muito tempo, foi recordista no mercado residencial de luxo da capital.

Cada bloco foi projetado como residência para uma família. Todos contam com entrada independente e um pátio interno. A partir do terraço, tem-se vista para o Kremlin e para a Catedral de Cristo Salvador.

Custo: Aproximadamente R$ 132,3 milhões por bloco

  1. Casa na Mosfilmovskaya

Embora seja referida como uma “casa”, trata-se, na verdade, de um complexo de dois arranha-céus - um edifício de 53 andares (213 metros) e outro de 34 andares (132 metros). Apesar das dimensões, esses prédios parecem leves e elegantes, sem causar impacto negativo ao horizonte da cidade, motivo pelo que foram colocados entre os cinco melhores arranha-céus do mundo pelos jurados do Emporis Skyscraper Award em 2012.

Custo: a partir de 450.000 rublos por mês (aproximadamente R$ 31.500)

  1. Moscow City

Além de escritórios e uma série de lojas e restaurantes, este centro empresarial conhecido como Moscow City também possui apartamentos de luxo. 

A Torre da Federação é o edifício principal da área e também seu arranha-céu mais alto (374 metros, 96 andares). Também é, oficialmente, o imóvel mais caro da Rússia na atualidade.

Custo: os preços dos apartamentos no empreendimento variam de várias dezenas de milhões de rublos a 2,2 bilhões de rublos (aproximadamente 154,8 milhões)

  1. Palácio do Triunfo

O prédio pode se parecer com os famosos arranha-céus stalinistas, mas data de uma época bem diferente - é uma construção nova, de meados da primeira década do século 21. Os arquitetos, no entanto, se ativeram assiduamente às características estilísticas fundamentais dos arranha-céus stalinistas da cidade: abóbadas altas, grandes vãos abertos, uma torre (que foi instalada no topo do edifício com a ajuda de um helicóptero), muito mármore nos interiores e lobbies espaçosos. Não é à toa que se tornou lar de residentes abastados - de estrelas do show business a diretores de cinema e teatro e empresários.

Custo: os preços de aluguel começam a partir de 180.000 rublos (cerca de R$ 12.500)

  1. Casas na Praça Gagárin

Esses edifícios na Leninsky Prospekt nº 30 foram apelidados de ‘As Casas do Suicídio’. E tudo porque suas torres foram adornadas com 16 esculturas em tamanho real que à distância parecem pessoas de pé à beira do telhado.

Na verdade, são 16 estátuas de soldados vitoriosos e garotas saudando a vitória. As casas foram erguidas no final dos anos 1940; uma via principal passa entre elas e, na época, eram uma espécie de portal monumental para a cidade.

Custo: a partir de 50.000 rublos (quase R$ 3.500)

VEJA TAMBÉM: fotos revelam interior das icônicas Sete Irmãs de Moscou

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies