10 imagens maravilhosas de Aleksandr Ródtchenko, ícone da fotografia russa

Alexander Rodchenko, Sputnik/Sputnik
Inicialmente, expoente da vanguarda soviética e, mais tarde, dedicado às imagens triunfais e saudáveis comunistas de atléticos corpos do realismo socialista, Ródtchenko é um dos alicerces da fotografia e das artes do século 20.

1. Retrato de minha mãe (1924)

Psicologismo, ângulos incomuns, cortes oblíquos e cliques geométricos são alguns dos traços da arte de Aleksandr Ródtchenko (1891-1956), um dos pioneiros da fotografia soviética.

2. Vladímir Maiakóvski (1924)

Ródtchenko esteve próximo dos principais artistas da vanguarda russa e fotografou muitos deles: Vladímir Maiakóvski, Vladímir Tátlin, Kazimír Malévitch. São tambémsuas as imagens de uma célebre união poliamorosa de três excepcionais criadores: Maiakóvski, sua musa Lília (Lili) Brik e seu marido Óssip Brik.

3. Lília Brik. Retrato para o pôster ‘Livros (1924)

Juntamente com Maiakóvski, Ródtchenko esteve envolvido na criação dos primeiros pôsteres soviéticos estatais (para órgãos como o Mosselprom, Goskino e outros). Ele foi o primeiro a criar fotomontagens e colagens e é também considerado o pioneiro do design gráfico na União Soviética.

4. Escada de incêndio. Da série: ‘Casa na rua Miasnitskaia’ (1925)

Ródtchenko, que pintava abstrações geométricas e era apaixonado pelo suprematismo e pelo minimalismo, também levou a vanguarda artística à fotografia.

5. Escada (1930)

Foi graças às imagens de Ródtchenko que muitos russos formaram a imagem do novo país dos Sovietes. Era por meio das imagens dele que os soviéticos descobriam como as casas e ruas deviam ser e como os homens e mulheres da URSS deviam viver, trabalhar e descansar.

6. Pioneiro trompetista (1932)

Muitas das obras deste fotógrafo são dedicadas a criar imagens idílicas da vida do novo país. Ródtchenko fotografou os “pioneiros” (movimento análogo ao dos escoteiros norte-americanos na URSS), atletas e membros do Komsomol (a juventude comunista).

7. Construção do canal do Mar Branco-Báltico (1933)

Contratado pelo Estado, Ródchenko fotografou os trabalhos de construção do canal Mar Branco-Báltico, erguido pelos detentos das gulags. Apesar de difícil, devido as condições de trabalho dos presos, o trabalho foi realizado. Ródtchenko ficou impressionado: "Nunca tinha visto, em lugar algum, como o trabalho para o Estado soviético podia corrigir de maneira extraordinária aqueles que até ontem eram seus inimigos".

8. Garota com Leica (1934)

Além da artista de vanguarda Varvára Stepánova, Ródtchenko teve um caso com Evguênia Lemberg, sua musa. Esta é uma das últimas fotos tiradas por Ródtchenko antes de sua trágica morte em um acidente de trem. A foto foi vendida pela Christie's por 519 mil dólares.

9. Moças com lenços (1935)

As autoridades esperavam que os artistas aprimorassem o conceito de “mente sã, corpo são”. A estética do corpo atlético, além disso, é importante em todos os regimes totalitários (basta lembrar, por exemplo, do documentário em duas partes sobre os Jogos Olímpicos de Berlim de 1936, "Olympia", da diretora predileta de Hitler, Leni Riefenstahl).

10. Mergulho (1934)

Exibições esportivas, atletas ou somente sessões de "ginástica matinal" representam o triunfo do realismo socialista no trabalho de Ródtchenko. Como pessoa criativa que era, o estilo logo se tornou insuportável para ele: "Logo mais ocorrerá o 30° aniversário do poder soviético, e até agora nada. Tudo faz a vida pior e mais chata", escreveu. Após a guerra, ele se recusou completamente a fazer fotos semelhantes e se dedicou principalmente à pintura.

LEIA TAMBÉM: 10 coisas que só quem viveu na União Soviética entende!

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies