A luta pelos direitos das mulheres na União Soviética em 10 pôsteres

V. Pimenov
Igualdade de gênero desafiou séculos de poderosas tradições da sociedade russa.

Foi a Revolução Bolchevique que estabeleceu a igualdade de direitos entre homens e mulheres na Rússia. Em 1919, o líder bolchevique Vladímir Lênin escreveu: “No decorrer de dois anos, o poder soviético em um dos mais atrasados países da Europa fez mais para emancipar as mulheres e tornar seus direitos iguais aos do sexo 'forte' do que todas as repúblicas 'democráticas' avançadas e esclarecidas do mundo nos últimos 130 anos”.

Continuando com a comparação, Lênin argumentou: “Conhecimento, cultura, civilização, liberdade – em todas as repúblicas capitalistas burguesas do mundo todas essas palavras bonitas são combinadas a infames, repugnantes e brutais leis nas quais as mulheres são tratadas como seres inferiores, leis que lidam com direitos no casamento e divórcio, que falam sobre o status inferior de uma criança nascida fora do casamento quando comparada a uma criança “legítima”, leis que garantem privilégios aos homens, leis que humilham e insultam as mulheres”.  

“A República Soviética, a república de trabalhadores e camponeses, prontamente exterminou essas leis e não deixou pedra sobre pedra na estrutura da fraude e da hipocrisia burguesas”, declarou o líder bolchevique.

LEIA TAMBÉM: Por que as russas não precisam do feminismo ocidental?

De fato, a Rússia soviética separou o casamento da igreja. Filhos ilegítimos tinham os mesmos direitos que aqueles nascidos no casamento. Mulheres tinham o direito de pedir o divórcio em diversas situações.

Qualquer atividade econômica era aberta às mulheres. Elas possuíam os mesmos direitos que os homens em termos de salário mínimo e férias remuneradas. Também tinham direito a licença-maternidade e acesso a uma rede de saúde e proteção no trabalho. Não surpreende que em apenas sete anos (de 1932 a 1930) o número de mulheres que entraram na força de trabalho aumentou de 423.200 para 885 mil.  

As mulheres também tinham igualdade de direitos políticos. Já na década de 1920, mulheres faziam parte dos conselhos de 600 cidades e vilas soviéticas, as principais instituições de poder do país. Foi uma ruptura radical do papel tradicional exercido pelas mulheres na Rússia pré-revolucionária, e as autoridades tentavam encorajar essa mudança de todas as formas possíveis, incluindo a divulgação em pôsteres.

8 de março, dia da emancipação da mulher.
Mulheres! Sua educação é uma garantia de sua emancipação
Tenha um bom Dia da Mulher, camarada presidente!
Abaixo a escravidão na cozinha. Vida longa a um novo modo de vida!
Mulheres em fazendas coletivas são um grande poder. Iossif Stálin
Glória à heróica mulher soviética
As mulheres da União Soviética têm direitos iguais de votar e receberem votos. Vida longa às mulheres da União Soviética que têm direitos iguais
Lênin e a trabalhadora. No país dos sovietes, toda dona de casa deve aprender a governanr o país.
Não havia e não podia haver mulheres como essas nos velhos tempos
Toda cozinheira deve aprender como governar o país (Lênin). Não fique plantada na cozinha de casa. Vá às eleições do Soviete. Antes, a trabalhadora era ignorante. Agora é ela quem resolve as coisas no Soviete.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies