Os 10 melhores filmes russos da 2ª Guerra Mundial, votados pelos próprios russos

Às vésperas do 75º aniversário do Dia da Vitória, a plataforma de vídeo kino.mail.ru entrevistou o público russo para descobrir os filmes de guerra favoritos no país.

1. Only Old Men Are Going Into Battle (1973), Leonid Bykov

Este longa sobre o cotidiano de pilotos de caça soviéticos conquistou o coração dos espectadores assim que chegou às telonas, atraindo 44,3 milhões de espectadores. A história começa no verão de 1943, antes da Batalha do Dniepre, para libertar a Ucrânia dos invasores alemães – onde os céus estremecem em intermináveis ​​(e muitas vezes desiguais) confrontos com a Luftwaffe. Os “velhos” do título (que se referem aos pilotos experientes) recebem reforços na forma de um esquadrão de jovens recém-saídos da escola de treinamento. Durante meses, eles mantêm os novatos ocupados com tarefas rotineiras, sem deixá-los voar para preservar suas vidas. Porém, chegará o dia em que não apenas os “velhos” terão de entrar na batalha.

2. Officers (1971), Vladimir Rogovoy

O longa retrata o destino de dois camaradas, cujos caminhos divergem e voltam a convergir anos após a guerra. “Existe tal profissão – defender a pátria” é uma frase do filme que se tornou expressão na Rússia.

Essa história incrivelmente sincera sobre honra e amizade militar foi um “tour de force” cinematográfico e gerou um aumento nas inscrições para a escola militar.

3. Auroras nascem tranquilas (1972), Stanislav Rostotsky

1941, Carélia. Cinco artilheiras antiaéreas e seu comandante (um homem) estão estacionados na retaguarda. Embora estejam longe da linha de frente, uma das artilheiras vê dois sabotadores alemães na floresta, e seu pequeno destacamento decide capturar o inimigo. Eles fazem uma emboscada, mas as coisas dão errado quando percebe-se que, em vez de dois alemães, trata-se de uma divisão inteira.

“Auroras nascem tranquilas” é um pequeno episódio de uma vasto conflito, mas a história sobre cinco mulheres e seus sonhos de amor, família e felicidade deu à guerra um rosto humano. Nos tempos soviéticos, era exibido em escolas de ensino médio e universidades, onde era obrigatória a exibição para todos os estudantes de jornalismo.

4. Eles Lutaram por Sua Pátria (1975), Serguêi Bondarchuk

Este épico de filme, baseado no romance homônimo de Mikhail Sholokhov, é ambientado em julho de 1942, quando a União Soviética estava à beira da derrota. As tropas soviéticas derrotadas em Stalingrado estão sob pressão, agarradas a cada pedaço de relva. A maré mudará eventualmente, mas nem todos viverão para ver.

O longa de 1975 sobre as dificuldades da guerra, fome, vítimas e heroísmo de soldados comuns foi nomeado para o Palma de Ouro no Festival de Cannes. Somado a isso, quase todos os atores eram eles próprios veteranos da guerra. E havia muitos deles: cerca de 50 papéis principais, além de mais de 2.000 extras.

5. O Destino de um Homem (1959), Serguêi Bondarchuk

Outro drama militar do mestre dos épicos Serguêi Bondarchuk (cujos créditos incluem também uma adaptação colossal para as telonas de “Guerra e Paz”) e outra versão cinematográfica de um romance homônimo de Sholokhov.

O filme é sobre um motorista da linha de frente que é pego em um ataque aéreo, vai parar em um cativeiro alemão e depois em um campo de concentração.

Foi a estreia de Bondarchuk como diretor de cinema, no qual ele também desempenhou o papel principal. “Esta é a maior e mais poderosa obra de guerra já filmada”, disse o famoso diretor italiano Roberto Rossellini depois de vê-la. “O Destino de um Homem” recebeu inúmeros prêmios internacionais.

6. Quando Voam as Cegonhas (1957), Mikhail Kalatozov

Dois apaixonados passeiam pelo verão de Moscou e fazem planos para o futuro – até que a guerra intervém abruptamente na história. A jovem permanece na cidade, enquanto seu amado se voluntaria para a frente. Será que eles se verão novamente?

Este drama de guerra de cortar o coração foi o único filme soviético a ganhar um Palma de Ouro em Cannes, que ainda assim foi subestimado pela imprensa da URSS: apenas alguns centímetros de coluna no jornal, sem fotografia e sem menção aos nomes do diretor ou roteiristas. Nos primeiros anos após seu lançamento nacional, o filme foi visto como muito focado em sentimentos, em vez de feitos heroicos.

7. A Balada do Soldado (1959), Grigory Chukhrai

O jovem soldado Alyosha se torna um herói ao explodir dois tanques alemães. As autoridades pretendem dar a ele um prêmio, mas, antes disso, Alyosha pede seis dias para visitar a mãe. Após o prêmio, a linha de frente estará à sua espera de novo.

O enredo assume o formato de um clássico filme de estrada. O protagonista passa o filme inteiro em movimento, chegando apenas no último dia e vendo sua mãe por apenas alguns minutos. Quase não há cenas de batalha; em vez disso, é mostrada a vida de pessoas simples em tempo de guerra. O longa foi bem recebida no Ocidente –indicado em Cannes e a para o Oscar, recebeu o BAFTA de Melhor Filme.

8. Neve Ardente (1972), Gabriel Yegiazarov

Este longa retrata um confronto heroico e trágico durante a sangrenta Batalha de Stalingrado, em 1942 – a ofensiva de Kotelnikovo. A ação é centrada em torno de uma bateria antitanque que é deixada isolada contra as colunas de tanques alemães em avanço. Ela pode resistir? O filme é considerado o melhor trabalho de Yegiazarov e está incluído no Fundo Dourado do Cinema Russo.

9. The Alive and the Dead (1964), Alexander Stolper

Adaptação cinematográfica do romance homônimo de Konstantin Simonov, é um dos poucos filmes de guerra baseados no roteiro de um jornalista militar.

A trama gira em torno do repórter Ivan Sentsov, que está de férias no sul quando a guerra eclode. Ivan imediatamente segue para a linha de frente como correspondente, onde testemunha os primeiros meses brutais do conflito.

“The Alive and the Dead” se destaca por seu realismo gritante. Não há trilha sonora – não há música, apenas sons da guerra. O esforço do diretor por autenticidade foi tão grande que uma igreja do século 19 foi explodida de verdade durante as filmagens.

10. At War as at War (1969), Viktor Tregubovich

O último da lista é um filme sobre a existência diária em tempo de guerra de uma equipe de veículos de combate, liderada por um tenente júnior saído direto da escola militar. Enquanto a tripulação liberta a Ucrânia da margem direita (a oeste do rio Dnieper) dos invasores alemães, o tenente júnior enfrenta todas as dificuldades de conquistar o respeito de seus subordinados. O longa alcançou o status de cult entre o público soviético pela música “The Tanks Rumbled Across the Field” – uma das canções de guerra mais icônicas de todos os tempos.

LEIA TAMBÉM: Prestes a completar centenário, soldado russo tem versos traduzidos para o português

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies