Fotos apresentam São Petersburgo como ‘a cidade mais melancólica da Terra’

Viktor Balaguer
Fotógrafo amador francês cria visão pessoal da chamada capital cultural da Rússia.

“Estou fazendo fotografia de rua. Pego minha câmera e ando pelas ruas de São Petersburgo”, conta Viktor Balaguer, 31 anos.

Balaguer trabalha como arquiteto em São Petersburgo. No entanto, fotografia urbana é a sua verdadeira paixão. 

Em sua conta no Instagram, @viktor_balaguer, todas as fotos são dedicadas ao modo como vê a cidade.

“Eu vim pela primeira vez para São Petersburgo em 2011. Desde então me apaixonei pela cidade”, diz.

“Comecei porque amo fotografia e queria mostrar a minha própria visão da cidade. A visão de um estrangeiro pode ser diferente das pessoas que são dali mesmo.”

Suas fotos deixam a impressão de que o clima na capital do norte da Rússia é congelante o ano todo.

VEJA TAMBÉM: 5 histórias de terror de arrepiar os cabelos em São Petersburgo 

Mas Balaguer explica: “Minha estação favorita é o inverno. Amo esse clima de inverno, com a cidade e os canais totalmente congelados. Para mim, é muito bonito e não temos em Paris”.

“Esta cidade é muito melancólica, assim como seu povo – eles não são tristes ou estão entediados. Acho poético ver idosos andando sozinhos perto dos canais ou do rio Neva”, continua.

Se Balaguer fizesse um filme sobre São Petersburgo, seria uma versão cinematográfica de “Noites Brancas”, de Dostoiévski – a história de um homem solitário que nutre uma paixão não correspondida por uma jovem. É assim que, segundo o próprio, sente o espírito da cidade.

“Minha primeira escolha seria totalmente esse tipo de drama, essa história e a cidade caem bem juntas”, sugere.

Como o arquiteto francês pratica fotografia de rua, suas fotos são baseadas no improviso e sua própria visão no momento. “Pego minha câmera e vou passear em diferentes partes da cidade.”

Balaguer edita todas as imagens usando o aplicativo Lightroom, mas “jamais acrescenta nada usando recursos como Photoshop”.

Para tirar fotos que pareçam “de dentro” dos veículos retrô, o fotógrafo aproxima a câmera do para-brisa de um carro ou de uma janela traseira e tira a foto.

 “Se quisesse fazer algo com minhas fotos, seria uma exposição”, diz o francês.

 “Gostaria de mostrar minha visão da cidade para as pessoas daqui. Aprecio demais quando alguém daqui gosta das minhas fotos; é muito importante para mim.”

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies