Além do ‘Quadrado Negro’: 5 pinturas desconhecidas de Malevich

Todos provavelmente já ouviram falar sobre o suprematismo, um gênero artístico vanguardista e complexo. Mas poucos sabem que seu criador, Kazimir Malevich, não pintava apenas figuras geométricas. Confira outras obras do famoso pintor.

Embora Malevich seja frequentemente associado a sua obra-prima suprematista, ‘O Quadrado negro sobre fundo branco’, seu trabalho ao longo dos anos revela um artista versátil e eclético. Nascido em Kiev, na Ucrânia, em 1879, o artista vivia distante do mundo da arte quando criança. Seu pai queria que ele seguisse seus passos e entrasse no ramo de processamento de açúcar de beterraba. Sua mãe, porém, possuía inclinações artísticas – escrevia poesias e adorava fazer bordados – e, mais tarde, foi uma das poucas pessoas que apoiaram a ambição de Malevitch em se tornar pintor.

Ainda pequeno, Malevich viu uma pintura de uma menina descascando batatas e ficou impressionado com a precisão da imagem – e foi justamente esse realismo que iniciou a jornada artística de um dos artistas mais abstratos do século 20.

  1. Primavera (1904)

Este é um dos primeiros trabalhos de Malevich, época em que suas obras tinham espírito impressionista. Quase todos os artistas de vanguarda passaram por essa fase. Além disso, um professor particular de Malevich era grande fã de Paul Cézanne. 

  1. Crianças (1908)

Do impressionismo puro, Malevich migrou para a vanguarda, participando de exposições de vários grupos artísticos, incluindo o Valete de Diamantes. Aos poucos foi se voltando para o cubismo e um estilo de pintura alógico (alogismo), e, também gradualmente, suas obras se tornaram mais geométricas e primitivas.

  1. Autorretrato (1910)

Malevich fez cerca de sete autorretratos muito diferentes; observando-os, é fácil identificar o estilo de arte que Malevich estava seguindo no momento. Seu primeiro retrato, ainda bem cedo, é um esboço de afresco e contém elementos ortodoxos. Há também vários retratos desenhados sob a influência de pinturas de fauvismo francês, com suas cores e texturas inesperadas, incluindo a imagem acima, que é, provavelmente, a mais famosa. Nela já se pode observar a tendência de Malevich em direção à geometria. Ele fez ainda um autorretrato suprematista baseado no ‘Quadrado Negro’ (que é supostamente uma cabeça) e outros dois retratos realistas.

  1. Camponesas em uma Igreja (1912) 

Esta é uma pintura do chamado “primeiro ciclo de camponeses”. Os principais temas abordados são camponeses, retratados em campos, igrejas e close-ups. Nessa fase, as figuras parecem estar crescendo em massa, tornando-se mais volumosas e estáticas.

  1. Florista (1930)

Mais perto do final de sua vida, Malevich voltou à pintura realista. Difícil de acreditar, mas o criador do ‘Quadrado Negro’ terminou a carreira pintando paisagens simples, comuns e bastante concretas. Em seus últimos trabalhos, novamente apelou ao impressionismo, tentando, porém, repensá-lo e dar-lhe uma nova interpretação. Mas, ainda que as senhoras do fundo sejam desenhadas de maneira impressionista, a pose e as roupas da florista refletem uma influência suprematista.

Exposição “Kazimir Malevitch. Não somente ‘Quadrado Negro’” ficará em cartaz no pavilhão ‘Trabalhador e Mulher do Kolkhóz’, do VDNKh (Moscou), entre os dias 24 de novembro de 2017 e 25 de fevereiro de 2018.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Leia mais