10 palavras de ‘Laranja Mecânica’ que você não sabia que eram russas

Malcolm McDowell imortalizou o Alex, de Laranja Mecânica, cujas gírias são baseadas em grande parte na língua russa.

Malcolm McDowell imortalizou o Alex, de Laranja Mecânica, cujas gírias são baseadas em grande parte na língua russa.

Getty Images
Gíria criada por Anthony Burgess há 55 anos para a obra é altamente inspirada pela língua russa.

Há 55 anos, o escritor e linguista inglês Anthony Burgess publicou o livro “Laranja Mecânica”, sobre a história do violento adolescente Alex. Lançado em 1962, no auge da Guerra Fria, o livro traz uma gíria criada pelo autor que é inspirada no idioma russo e se chama “Nadsat”. O Russia Beyond traz aqui algumas curiosidades sobre este vocabulário, que confere à história um ar totalitário, de distopia.

  1. Nadsat (vem de “-надцать” ou “-nadtsat”)

O próprio nome do dialeto “Nadsat” usado por Alex e seus amigos vem do sufixo russo que pode ser traduzido livremente como “dez”, e que seria correspondente ao prefixo “dez” em “dezesseis”, “dezessete” etc.

Por exemplo, piatnadtsat é a palavra russa para o número 15, trinadtsat para 13. Não é coincidência que os personagens principais sejam jovens adultos.

Eles personificam uma subcultura adolescente que não é só incompreendida pelos adultos, como parece sinistra em seu caráter estrangeiro e ameaça política.

Ela amplifica os tons de incompreensão mútua tão comuns durante a Guerra Fria, um tempo em que as palavras eram usadas como arma e uma comunicação significativa era quase impossível.

  1. Drugue (vem de “друг” ou “drug”, que significa “amigo”)

“Éramos eu, isto é, Alex, e meus três drugues, Pete, Georgie e Dim.”

A primeira frase do livro traz a palavra “drugue”, talvez a mais famosa palavra “Nadsat” do livro, que imediatamente surpreende e avisa o leitor de que ele está prestes a entrar em outro mundo.

“Drugue” ganha significado ao longo do livro enquanto seguimos a luta interna de Alex, que geralmente acontece às custas de seus desafortunados amigos, Pete, Georgie e Dim.

  1. Moloko (vem de “молоко” ou “molokô”, que significa “leite”)

“… depois de beber o velho moloko… você tem a impressão de que tudo a sua volta estava meio que no passado…”

Enquanto Alex e seus drugues adoram um pouco do “velho moloko”, fica claro desde o início que eles estão apenas colocando leite em seu cereal.

Na famosa cena de abertura na Leiteria Korova, o moloko é misturado a “facas”, um misterioso líquido que temos a impressão de que não deveria ser servido para um personagem que supostamente tem 15 anos.

Vale lembrar que “korôva” é a palavra russa para “vaca”. Agora tudo faz sentido, não?

  1. Horrorshow (vem de “хорошо” ou “khoroshô”, que significa “bom”)

“Dei a ele um verdadeiro chute de horrorshow na gulliver e ele disse ‘ohhhhh’, então meio que roncou como se dormisse…”

A palavra “Nadsat” para “bom” vem diretamente da palavra russa para o termo. Anthony Burgess tomou a liberdade de traduzir de forma incorreta a palavra, para que ficasse semelhante à palavra “horror”.

Isto é importante, já que seu uso durante a história vai de bom para mau. Gradualmente, “horrorshow” adquire um sentido irônico, revelando a satisfação de Alex com filmes violentos e atos terríveis de tortura.

  1. Gulliver (vem de “голова” ou “golová”, que significa “cabeça”)

“Tive algo como uma dor na Gulliver, então tive que dormir.”

Assim como “horrorshow”, “gulliver” é uma versão muito anglicizada da palavra russa “golová”, e por isso pode parecer uma gíria inglesa à primeira vista.

A palavra talvez seja uma alusão ao clássico de Jonathan Swift “As viagens de Gulliver”, dando aos leitores ingleses uma falsa sensação de familiaridade.

Apesar de Gulliver ser um gigante em uma terra de seres pequenos, seria esse um retrato dissimulado da enorme e assustadora cultura soviética dominando o Ocidente?

  1. Veck/Chelloveck (vem de “человек” ou “tchelovék”, que significa “pessoa”)

“O chute fez com que o velhoveck começasse a gemer, e então jorrou o sangue de meus irmãos, realmente lindo.”

A frase “molôdoi tchelovek” (jovem homem) expressa respeito na Rússia. Nosso anti-herói, Alex, no entanto, abrevia o termo para “veck” para dar à palavra um ar condescendente.

“Veck” não é um termo usado na Rússia, o que mostra que Burgess se afastou de traduções diretas para tornar o jargão “Nadsat” tão enigmático quanto possível.

  1. Krovvy (vem de “кровь” ou “krov”, que significa “sangue”)

“Uma pessoa pode morrer uma vez. Dim morreu antes de nascer. Aquele edkrovvy vermelho logo irá parar.”

Em “Laranja Mecânica”, a palavra “krov” recebe o sufixo “-y” para parecer menos séria que a forma original russa.

Por que isso é feito? Porque Alex é um maníaco ultraviolento e a visão do sangue não o assusta em nada.

Além disso, Burgess é gentil o suficiente para nos dar uma ajuda ocasional para entender o Nadsat, especialmente quando a palavra em russo é um pouco mais obscura.

Neste caso, a descrição de “red red” (“vermelho vermelho”, em português) dá uma boa pista do significado real de “krovvy”.

  1. Em meu oddy knocky (vem de “одинокий” or “odinóki”, que significa “sozinho” ou “solitário”)

“… seu velho drugue Alex todo em seu oddy knocky procurando como um companheiro…”

Burgess está apenas se divertindo aqui. Quem não fala russo provavelmente lê essa expressão como uma variação das palavras inglesas “odd” (estranho) e “knock” (bater), e se dá conta de que isso não faz nenhum sentido!

A frase, de fato, é uma mistura da palavra russa “odinóki’ com a frase em inglês “on my own” (sozinho).

  1. Devotchka (vem de “девочка” ou “dêvotchka”, que significa “menina”)

“Você faria a gentileza de me emprestar o telefone para telefonar para uma ambulância? A devotchka meio que hesitou e disse: ‘Espere’.”

Na Rússia, essa palavra é uma alternativa menos diplomática para o termo muito aceito “devushka” (que também significa menina). A não ser que se esteja falando com uma criança, devochka é um termo que seria dito por um mulherengo. Na melhor das hipóteses, dizer isso fará com que você pareça atrevido. Na pior, condescendente. Para Alex, o último caso é o mais provável.

  1. Interessovated (vem de “интересовать” ou “interessovát”, que significa “interessar-se”)

“‘Oh?’ Ele havia me interessovated agora…”

Talvez a aplicação mais audaciosa da língua russa em todo o livro, essa palavra usa o verbo russo “interessar” e acrescenta o final em inglês.

Você deve estar se perguntando o motivo de Burgess ter feito isso. Não é apenas tornar a palavra mais longa? Você está certo.

Algo nesta tentativa deliberada de usar a língua russa em “Laranja Mecânica” ameaça profundamente a identidade ocidental no pós-guerra.

Isso mostra que Alex e seus amigos não estavam tentados a usar palavras em inglês quando era conveniente. Mais importante, oferece um olhar da insegurança dos países capitalistas ocidentais em relação à Rússia e à cultura soviética, uma insegurança que eles fizeram de tudo para esconder.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Leia mais
Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies