Os melhores caminhões fabricados pela russa Ural

Vitaly V. Kuzmin/vitalykuzmin.net
Primeiros veículos da Ural surgiram durante o período mais difícil da história soviética. Oitenta anos depois, a fábrica ainda produz os caminhões mais demandados da Rússia.

Em novembro de 1941, quando as tropas alemãs ocuparam uma parte significativa da URSS e ameaçavam a capital soviética, o governo do país evacuou rapidamente os trabalhadores e suas famílias de duas fábricas de Moscou para a pequena cidade de Miass, nos montes Urais.

Ali, eles tiveram que lançar a toque de caixa a produção de motores, caixas de câmbio e eixos para tanques e veículos militares. Assim foi fundada a fábrica de veículos “Ural”, que completa 80 anos em 2021.

Em 1943, o governo decidiu transferir a produção de todos os caminhões soviéticos para Miass. Assim, a pequena fábrica que produzia peças de reposição se transformou em um empreendimento enorme especializado em veículos de transporte e apoio militar.

Em julho de 1944, a empresa “Ural” enviou o primeiro lote, de 1.000 caminhões ZiS-5B, para a frente de batalha. Os veículos eram utilizados para o transporte de pessoas, munições, medicamentos e outras cargas.

Até o final da Segunda Guerra Mundial, a empresa enviaria 6.800 veículos para a frente de batalha e, após a guerra, se tornou a maior fabricante de caminhões militares e civis da União Soviética.

ZiS-5

O ZiS-5 foi o primeiro veículo criado na “Ural” a partir de junho de 1942. Ele foi criado a partir das peças básicas que a empresa conseguiu obter após a evacuação da capital.

A primeira versão do ZiS-5 tinha uma cabine de madeira, apenas um farol e freios apenas nas rodas traseiras.

A suspensão do veículo não tinha amortecedores e a cabine não podia ser aquecida no inverno.

A configuração do veículo era a mais simples possível, mas o caminhão era considerado confiável e tinha excelente mobilidade.

Em 1944, quando a URSS começou a expulsar os alemães do seu território, a “Ural” efetuou todas as melhorias necessárias ao primeiro modelo e começou a fabricar os caminhões ZiS-5B, um dos veículos de transporte mais produzidos na URSS.

Ural-375

O Ural-375 é um caminhão que foi desenvolvido no início dos anos 1960. Ele tem tração nas quatro rodas e motor de 180 cavalos. O consumo de gasolina dele era enorme: cerca de 48 litros de combustível a cada 100 km.

Esse caminhão substituiu o ZiS-5B e todas as suas modificações no exército e foi utilizado como uma plataforma militar de múltiplas funções.

Mais tarde, seus motores a gasolina foram substituídos por motores a diesel, a carga máxima foi aumentada, e isso permitiu instalar armas e transformar o veículo de transporte e suporte em veículo militar armado.

Ural-4320 e suas versões militares

Em 1976, a empresa criou o Ural-4320, que por muitos anos foi o principal caminhão de transporte de tropas e armas.

O Ural-4320 é armado com um sistema de lançadores múltiplos de foguetes Grad e canhões automáticos ZU-23-2.

Esse modleo foi utilizado durante a guerra no Afeganistão e, mais tarde, se tornou o principal veículo de combate durante o conflito na Tchetchênia.

Devido a sua durabilidade, os caminhões Ural-4320 são usados pelas Forças Armadas da Federação Russa até hoje. Cada veículo pode levar até sete toneladas de carga e alcançar velocidade de até 85 km/h. A versão básica de um Ural-4320 militar custa até US$ 48.600 e é exportada. Ela é amplamente usada pelos exércitos de países da ex-União Soviética, da Europa Oriental e da América Latina.

Caminhões comerciais

Além de veículos militares, a Ural também produz caminhões comerciais para mineração, extração de madeira e extração de petróleo e gás.

Os caminhões Ural-Next têm motores de 312 cavalos com baixo consumo de combustível. Os preços dele variam entre US$ 50 mil e US$ 150 mil, dependendo de sua configuração. Os veículos são adaptados para operar em temperaturas que variam entre 45 graus Celsius negativos e 40 graus Celsius positivos e podem transportar até doze toneladas de carga.

LEIA TAMBÉM: Os 10 principais veículos que a Rússia usa para desbravar o Ártico

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies