Assim foi a visita de Neil Armstrong à URSS (FOTOS)

Astronauta norte-americano Neil Armstrong na Cidade das Estrelas; à direita, piloto-cosmonauta da URSS Gueórgui Beregovoi

Astronauta norte-americano Neil Armstrong na Cidade das Estrelas; à direita, piloto-cosmonauta da URSS Gueórgui Beregovoi

Rudolf Kutcherov/Sputnik
Neil Armstrong conheceu a viúva de Iúri Gagárin em sua passagem pelo país em 1970. Visita foi um passo importante para melhoria das relações entre as superpotências na Guerra Fria. 

Era difícil encontrar pessoas mais populares nas décadas de 1960 e 1970 do que os cosmonautas. Pioneiros na exploração espacial, eles desfrutavam de atenção e respeito universais. Em 24 de maio de 1970, um dos ídolos da época, o astronauta Neil Alden Armstrong, o primeiro homem a pisar na superfície da Lua, chegou à União Soviética.

Antes de Armstrong, o único astronauta norte-americano que havia estado na URSS era Frank Bormann, comandante da Apollo 8, o primeiro voo tripulado ao redor da lua.

A visita histórica de Armstrong à URSS não começou em Moscou. Em 24 de maio, ele voou para Leningrado (atual São Petersburgo), onde foi convidado a fazer um discurso sobre “A exploração da superfície lunar” na 13ª sessão do Comitê Internacional de Pesquisa Espacial (COSPAR). Delegados de 30 países se reuniram para ouvir o famoso astronauta.

Neil Armstrong passou vários dias na capital cultural da União Soviética. Lá visitou o Hermitage, o Museu Naval e o Grande Palácio de Peterhof, entre outros locais de interesse.

Ele também esteve no cruzador Aurora, atracado no cais da cidade, e que marcou o início da Revolução Bolchevique na Rússia.

Após a conferência, Armstrong voou para Novosibirsk em 29 de maio. Na chamada capital da Sibéria, ele visitou por iniciativa própria a casa onde viveu e trabalhou o cientista Iúri Kondratiuk no início do século 20, cujos cálculos de trajetória de voo até a Lua foram usados ​​pela Nasa no programa Apollo. Na ocasião, Neil até coletou um punhado de terra do terreno ao lado da casa como lembrança.

Para que o astronauta apreciasse a beleza da natureza siberiana, foi levado em uma viagem de iate ao reservatório de Novosibirsk no rio Ob, também conhecido como Mar de Ob.

Durante um piquenique no litoral, Neil Armstrong demonstrou seus dotes culinários preparando uma tradicional sopa de peixe russa, a ukhá.

A capital da União Soviética se tornou a última etapa da jornada do famoso astronauta. Nenhum dos passageiros do voo Novosibirsk-Moscou de 31 de maio adivinhou que não eram os pilotos da Aeroflot que estavam no comando, mas Armstrong e o cosmonauta soviético Gueórgui Beregovoi, que o acompanhou durante parte do voo.

O astronauta norte-americano percorreu a Praça Vermelha, visitou o mausoléu de Lênin e depositou flores no túmulo de Iúri Gagárin na muralha do Kremlin.

Durante reunião com Aleksêi Kossiguin, presidente do Conselho de Ministros da URSS, Armstrong entregou-lhe um recipiente com amostras de solo lunar e uma pequena bandeira soviética que, junto com os astronautas e outras bandeiras de mais de 130 nações, estivera na superfície lunar. Em contrapartida, Kossiguin disse a Neil que o povo soviético admirava  “sua coragem e seu conhecimento como nenhum outro”.

A convite pessoal do projetista de aeronaves soviético Andrei Tupolev, Armstrong visitou o hangar onde o mais recente avião supersônico de passageiros, o Tu-144, estava armazenado - tornando-se primeiro estrangeiro a espiar o Concorde soviético” por dentro.

O mais interessante para Neil Armstrong foi, evidentemente, a visita ao 1º Centro de Treinamento de Cosmonautas Gagárin, de natureza científica e de pesquisa, na chamada Cidade das Estrelas, nos arredores de Moscou. A primeira mulher cosmonauta do mundo, Valentina Terechkova, foi quem fez o tour guiado para o norte-americano.

O momento mais emocionante de Armstrong durante sua jornada foi, no entanto, conhecer as viúvas dos cosmonautas já falecidos: Valentina Gagárina e Valentina Komarova, cujo marido, Vladímir Komarov, foi o primeiro homem a morrer no espaço. Em entrevista posterior a jornalistas, Neil admitiu ter ficado “profundamente comovido” com a conversa.

Entre os presentes que Armstrong recebeu antes de deixar a União Soviética estavam maquetes das espaçonaves Soyuz-4 e Soyuz-5 e um rifle de caça dado por cosmonautas soviéticos com quem havia feito amizade.

A visita de Neil Armstrong à URSS em 1970 foi um passo importante no processo de melhoria das relações entre as duas superpotências durante a Guerra Fria. 

Em parte, acabou possibilitando o primeiro voo espacial tripulado experimental soviético-americano, o Soyuz-Apollo, em 1975.

LEIA TAMBÉM: Por que os astronautas se chamam cosmonautas na Rússia?

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies