Submarinos nucleares russos receberão torpedos com o maior alcance subaquático do mundo

Andrei Luzik/TASS
O Russia Beyond compilou tudo o que se sabe – até então – sobre essas novas armas.

No início de março, a Rússia concluiu os primeiros testes com protótipos dos futuros torpedos para os novos submarinos nucleares da classe Iássen e Borei, de acordo com o diretor da Corporação de Armas de Mísseis Táticos, Boris Obnóssov.

As armas, que estão sendo desenvolvidas no âmbito do programa estatal de rearmamento do Exército da Rússia até 2022, deverão entrar em serviço em 2024, quando todo o equipamento de geração anterior chegará ao fim da vida útil.

Quais torpedos são usados hoje?

Atualmente, a maioria dos submarinos nucleares russos estão equipados com torpedos Chkval, criados no final do século 20 e capazes de atingir velocidade de até 375 km/h. 

“Embora o Chkval seja o torpedo mais veloz do mundo, ele é também o mais barulhento e fácil de identificar por navios e sistemas acústicos submarinos”, explica Vadim Koziúlin, professor da Academia Russa de Ciências Militares.

Segundo Koziúlin, na época de sua concepção, os engenheiros estavam tão concentrados na construção do mais rápido torpedo que cometeram outras falhas.

“No combate submarino, a arma mais eficaz é a que não pode ser detectada pelos sistemas acústicos de submarinos inimigos. Quanto mais silencioso for o lançamento, maior a chance de atingir o inimigo”, diz o professor.

O lançamento do Chkval é tão barulhento que pode ser ouvido a uma distância de diversos quilômetros; por isso a necessidade de substitui-lo por uma arma mais eficaz.

Quais são os novos torpedos?

Os torpedos Chkval serão substituídos pelo sistema Futliar, relata a fonte no complexo militar-industrial. De acordo com os desenvolvedores, esses mísseis são menos rápidos, mas têm o maior alcance e, acima de tudo, são mais silenciosos.

Isso porque o míssil recebeu novas nadadeiras de cauda que permitem manobrar debaixo d’água. Mas a principal diferença do Futliar em relação a seus predecessores é o motor de pistão axial.

“Os cientistas conseguiram reduzir significativamente o ruído dos torpedos, alterando o movimento dos pistões do motor em relação ao eixo”, afirma o ex-analista do jornal “Izvêstia”, Dmítri Litôvkin.

Futliar será capaz de atingir navios e submarinos inimigos até 60 km de distância a uma velocidade de 65 nós (cerca de 120 km/h).

O sistema foi criado para uso a bordo dos submarinos tipo Borei (Projeto 955) e Iássen (Projeto 885), e cada submarino poderá portar entre 30 e 40 torpedos.

LEIA TAMBÉM: Quando marinheiros dos EUA enfrentaram ‘Ivan Louco’ debaixo d’água

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies