7 grandes realizações do homem que enviou Gagárin ao espaço

Herói da União Soviética Iúri Gagárin (esq.) and Serguêi Korolev, 1961

Herói da União Soviética Iúri Gagárin (esq.) and Serguêi Korolev, 1961

Sputnik
Para se ter ideia, a cosmonáutica mundial ainda está desenvolvendo as ideias de Serguêi Korolev – e sem ele, os triunfos espaciais da URSS jamais teriam acontecido.

1/ Piloto e construtor

Korolev poderia ser facilmente chamado de prodígio, porque realizou seus primeiros desenvolvimentos bem-sucedidos ainda na escola. Aos 17 anos, ele apresentou o projeto de avião sem motor. Na universidade, em 1926, Korolev foi transferido do Instituto Politécnico de Kiev para a famosa Universidade Técnica Estatal Bauman de Moscou, onde projetou o primeiro planador da URSS, que deveria ser usado para a realização de acrobacias complexas. O ás da aviação soviético Vassíli Stepantchonok acabou realizando o voo inaugural com sucesso. Embora Korolev fosse um piloto certificado, não conseguiu executar o voo devido a uma doença.

2/ Tsiolkovski e a tecnologia de foguetes

Após o primeiro encontro com o pioneiro da teoria astronáutica, Konstantin Tsiolkovski, em sua casa em Kaluga, Korolev começou a se interessar por movimento relativo. Nos anos 1930, junto com seus sócios, fundou o Grupo de Estudo do Movimento Relativo (GEMR), que virou o Instituto de Pesquisa Científica Reativa.

1929

Sob a supervisão de Korolev, foram criados os primeiros mísseis balísticos com propelentes líquidos e mísseis antiaéreos e de longo alcance da URSS. Mísseis de longo alcance e antiaéreos com propelentes sólidos também foram desenvolvidos. Em 27 de junho de 1938, Korolev foi preso por má administração de recursos.

3/ Bombardeiros criados na prisão

Ao ser condenado a 10 anos em campos de trabalho forçado, Korolev foi enviado a Kolimá e Vladivostok. Mas, no verão de 1940, passou por um novo julgamento e, após o segundo veredito (sentença de oito anos), foi enviado a um escritório de projetos especiais da NKVD (CDB- 29), em Moscou. O departamento era liderado por quatro construtores, também prisioneiros, incluindo Andrêi Tupolev, famoso construtor de aviação e ex-supervisor de Korolev na Bauman. Foi no CDB-29 que o melhor bombardeiro soviético (em termos técnicos), o Tu-2, e o bombardeiro mais produzido em massa, o Pe-2, foram desenvolvidos. Em 1942, Korolev acabou sendo transferido a Kazan, onde continuou trabalhando em motores de foguetes.

4/ Mísseis balísticos

Dois anos depois, por ordem de um decreto de Ioussef Stálin, Korolev foi libertado sem completar sua sentença, e suas acusações foram suspensas. Em 1946, foi nomeado construtor-chefe do Escritório Especial de Projetos (SDB-1), nos arredores de Moscou. O principal objetivo era criar um equivalente ao alemão V-2 e, como todos os projetos haviam sido perdidos, foi preciso recomeçar os cálculos do zero.

1961

Em 1948, foram realizados os primeiros voos de teste do R-1. No entanto, Korolev estava simultaneamente envolvido no desenvolvimento de várias gerações de mísseis. Em 1954, o departamento de projeto de Korolev produziu o R-5, o primeiro míssil balístico com carga nuclear; dois anos depois, veio o R-7, o primeiro míssil balístico intercontinental de dois estágios, capaz de lançar uma ogiva nuclear a praticamente qualquer ponto do planeta – foi justamente o míssil que proporcionou a oportunidade de conquistar o espaço e se tornou a base de todos os veículos lançadores de hoje.

5/ Sputnik

Antes dos testes de voo do R-7, um grupo de construtores do departamento de projetos de Korolev propôs o envio de um satélite artificial da Terra ao espaço, e as autoridades aceitaram a proposta. Com base no míssil de combate, Korolev desenvolveu o sistema de lançadores de três e quatro estágios.

1960

Em 4 de outubro de 1957, o primeiro satélite artificial da Terra, Sputnik-1 (em russo, “Sputnik” significa satélite), foi lançado em órbita. Dois anos depois, a estação automática Luna-2 se tornou o primeiro objeto artificial a efetuar um voo espacial, agitando a bandeira soviética sobre a Terra.

6/ Os primeiros voos espaciais

A energia de Korolev era inesgotável e, na primeira metade da década de 1960, sob sua supervisão, a URSS fez muitos avanços. Em 12 de abril de 1961, Iúri Gagárin se tornou a primeira pessoa no espaço; em 1962 ocorreu um voo conjunto das naves espaciais Vostok-3 e Vostok-4; e, em 1963, Valentina Terechkova se tornou a primeira mulher a viajar ao espaço (depois, apenas três outras mulheres estiveram pela URSS e Rússia). Em 1964, a União Soviética lançou uma nova nave espacial, a Voskhod, que possuía pela primeira vez uma tripulação composta por vários membros (mais especificamente, com três pessoas). Em 18 de março de 1965, Aleksêi Leonov se tornou o primeiro cosmonauta a fazer uma caminhada espacial.

7/ Projetos de estação orbital e pouso na lua

Talvez, se as circunstâncias tivessem sido diferentes, Leonov teria sido o primeiro cosmonauta soviético a pousar na Lua (esse era seu papel no programa lunar tripulado). No entanto, sem liderança única, o desenvolvimento do projeto foi lento. Em 1966, Korolev morreu em consequência de uma doença e, vários anos depois, Brejnev cancelou o programa. Outra ideia de Korolev, que o ocupou em seus últimos anos, foi a construção de uma estação orbital onde os cosmonautas viveriam e trabalhariam por muito tempo sem trajes espaciais. Um passo nessa direção foi a criação da nave espacial Soyuz, que incluía um compartimento de estar. Infelizmente, Korolev não viveu para ver o primeiro lançamento dessa nave espacial em 1967.

LEIA TAMBÉM: 6 russos que foram parar na Gulag

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies