Onde se extrai platina na Rússia? (FOTOS)

Existe uma cordilheira com um formato único de anel no Extremo Oriente russo de onde sai o elemento metálico, mas é quase impossível visitar o local como turista.

O Maciço de Kondior, na região de Khabarovsk, tem um formato de anel quase perfeito quando visto de cima. É a única cordilheira circular do mundo, e é notável que isto tenha se formado naturalmente sem ser um vulcão ou uma cratera de meteorito.

Apesar de ser muito pitoresco, o local não se tornou uma atração turística. O clima severo é um dos motivos, mas há outro mais importante: dentro do anel de 8 quilômetros de rochas, sem qualquer vegetação, fica o maior depósito do mundo de um dos metais preciosos mais raros da Terra, a platina aluvial, além de diversos outros metais preciosos e minerais. A Rússia é o segundo maior extrator de platina, atrás apenas da África do Sul, e tem as maiores minas do elemento metálico nos Urais, na península de Taimir e no maciço de Kondior.

Inicialmente, extraía-se ouro ali na década de 1970, mas os garimpeiros também encontravam regularmente platina nos depósitos do rio Kondior. É que a fonte de platina não estava longe dali.

A mineração de platina se iniciou em 1984 e, desde então os trabalhadores da Amur Artel (a associação local de garimpeiros e parte do Russian Platinum Holding Group) encontram pepitas com de 1,5 a 3,5 quilos no Maciço de Kondior. No total, 100 toneladas desse metal altamente valorizado foram extraídas ali desde o início da exploração do depósito.

A platina extraída é assim antes de ser enviada para uma refinaria para ser limpa das impurezas. Os grãos amarelos são partículas de ouro "associado". Além da platina, existem outros metais do grupo da platina ali, além de uma pequena mistura de ferro e titânio.

Aqui, vê-se a extração de platina aluvial usando uma máquina de comporta. O material contendo platina é enviado do trator à bandeja de recepção de uma "grande peneira", onde é quebrado e lavado por uma corrente de água. O material mais leve é ​​descartado, enquanto as finas partículas pesadas são mantidas.

Além da platina, também são extraídas aqui granada preta, calcita azul, konderita de metal (uma liga única de cobre, chumbo, ródio, platina e irídio).

É extremamente difícil chegar ao local. A cidade grande mais próxima é Khabarovsk, que fica a 1,1 mil quilômetros e o povoado mais próximo fica a 75 quilômetros. E o clima é severo, há o permafrost, invernos prolongados e ventos soprando do mar de Okhôtsk.

Um forasteiro não conseguiria chegar aqui sozinho. Mas o aeroporto de Uorgalan foi construído em 2014 para os trabalhadores da Artel que vão ao local em turnos.

Os garimpeiros vivem em um assentamento especialmente construído para eles que, além de dormitórios, tem posto de primeiros socorros, academia, balneário e cantina. De repente, há 800 pessoas morando ali. Os garimpeiros vêm e vão em turnos com duração de três a seis meses.

LEIA TAMBÉM: Por dentro das megafábricas russas: o ‘ouro negro’ da Bashneft

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies