As 5 maiores invenções de estrangeiros na Rússia

No longo curso da história russa, dezenas de estrangeiros foram ao país e fizeram contribuições significativas para sua ciência. Alguns de seus projetos atravessaram fronteiras e ganharam significado global.

1. Ácido acético congelado

Nascido na Alemanha, Johan Tobias Lowitz mudou-se para o Império Russo quando tinha 11 anos de idade. Ali ele se tornou um dos principais químicos do século 18.

Entre suas principais invenções está a adsorção de carvão, que ajuda a remover o odor e o sabor da água com o uso de carvão.

Além disso, Lowitz fez avanços notáveis na pesquisa da cristalização. Ele descobriu uma maneira de obter o ácido acético congelado, que é amplamente utilizado atualmente na química moderna, na perfumaria e nas indústrias farmacêutica e de alimentos.

2. Aritmômetro de Odhner

O engenheiro sueco Willgodt Theophil Odhner passou a maior parte de sua vida vivendo e trabalhando em São Petersburgo. Em 1873, ele inventou o Aritmômetro de Odhner, uma das mais bem-sucedidas calculadoras mecânicas já criadas.

A produção do Aritmômetro de Odhner durou do Império Russo até a Revolução de 1917, quando a fábrica foi nacionalizada pelo governo soviético. Então, os filhos de Willgodt Odhner transferiram a produção para a Suécia, enquanto na União Soviética o Aritmômetro de Ohdner passou a ser produzido sob a marca “Feliks” até os anos 1970.

3. Motor turboélice Kuznetsov NK-12

Quando a Segunda Guerra Mundial terminou, centenas de técnicos alemães foram deportados para os EUA e para a URSS, onde beneficiaram as indústrias militares locais.

Um desses grupos foi liderado pelo engenheiro austríaco Ferdinand Brander, que trabalhou para a fabricante de aviões Junkers durante a guerra. Em cooperação com colegas soviéticos, a equipe de engenheiros alemães criou o mais potente motor turboélice já construído, o NK-12.

O motor e suas modificações são amplamente utilizados até hoje, como por exemplo, na maior aeronave movida a turboélice do mundo, a An-22 e no bombardeiro estratégico Tu-95.

4. Geladeira de três câmaras Zil-3

No início dos anos 1960, “o pai do design industrial” Raymond Loewy foi convidado a ir à União Soviética para trabalhar em diversos projetos.

Ofereceram-lhe que criasse diversos projetos diferentes, entre eles, uma locomotiva, dois hidrofólios, um trator, um rifle de caça, relógios de mão e outros projetos. Loewy estava especialmente interessado em criar um design para o novo carro Moskvitch.

Para tanto, ele chegou a convidar um jovem artista conceitual, Syd Mead - que mais tarde iria se tornar famoso por "Aliens" e "Blade Runner".

Infelizmente, nem o projeto do Moskvich, nem os outros conceitos de Loewy caíram nas graças dos soviético, exceto um: seu projeto para a geladeira ZiL, uma das primeiras soviéticas com três câmaras.

5. Aviões VVA-14

O cientista italiano e designer de aviões Roberto Bartini era um comunista dedicado e emigrou para a União Soviética em 1922.

Desde então, apesar de alguns períodos difíceis, incluindo sua prisão em 1938, dedicou a vida ao desenvolvimento da indústria aeronáutica soviética.

Seu VVA-14, por exemplo, foi uma aeronave anfíbia experimental com decolagem vertical que combinava bombardeiro e torpedeiro. Ele foi antecessor dos famosos veículos soviéticos conhecidos como "ekranoplans".

O engenheiro soviético de foguetes Serguêi Korolióv certa vez elogiou o cientista italiano: "sem Bartini, não teríamos o Sputnik [primeiro satélite artificial da Terra]".

Gostou? Então descubra as “5 vezes em que a Rússia dominou a ciência”.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies