Rússia lançará produção de sistema de defesa antiaérea da nova geração S-500

Sistema antimisiles S-400 Triumf.

Vladislav Sergienko
Mais secreto de todos os novos armamentos militares russos, o S-500 poderá cobrir todo o território do país, o que o transformará em zona de exclusão aérea.

O sistema de defesa aérea S-500 “Prometey” está pronto para entrar na linha de produção, segundo o ministro da Indústria e Comércio, Denís Mánturov, disse à agência de notícias Interfax.

De acordo com ele, as principais características do sistema foram aprovadas durante os testes finais.

Ao contrário da maioria dos novos projetos da indústria russa, o desenvolvimento do S-500 ocorre em uma atmosfera de secreto absoluto, já que o complexo terá papel fundamental na defesa do país.

Segundo especialistas militares, o novo sistema de defesa antiaérea da sexta geração será o primeiro do mundo capaz de abater alvos na órbita próxima da Terra, ou seja, a mais de 100 quilômetros de altura.

Além disso, o S-500, terá novos sistemas de comunicação de rádio sem precedentes em termos de qualidade, distância da transmissão de dados e discrição, de acordo com seus desenvolvedores.

O S-500 “Prometey” será equipado com o novo míssil guiado de alcance ultralongo 40N6, que foi desenvolvido especialmente para o equipamento. O 40N6 poderá voar a velocidades hipersônicas, alcançando até o Mach 9 (10.800 km/h).

De acordo com os militares, o novo sistema superará significativamente o atual S-400 Triumf, cobrindo todo o território do país e transformando-o em uma zona de exclusão aérea.

Uma das principais diferenças entre o S-500 e seus análogos estrangeiros é a capacidade de rastrear e destruir em todas as direções. Seu concorrente mais próximo, o sistema MIM-104 Patriot dos Estados Unidos, por exemplo, pode “observar” apenas em uma direção predeterminada, em um ângulo de 180 graus.

LEIA TAMBÉM: Katyusha do século 21 substituirá todos os soviéticos

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies