Quais armas Makarov inventou além da pistola?

Vitaly Ankov/Sputnik
Makarov desenhou a principal pistola do exército e polícia russa, mas também uma infinidade de armas de artilharia para aviões e os primeiros mísseis antitanque soviéticos com buscadores infravermelhos.

A principal arma dos policiais soviéticos, a pistola Makarov, é a mais famosa, mas não a única criada pelo projetista de armas Nikolai Makarov.

Depois da Segunda Guerra Mundial, as Forças Armadas da URSS precisavam de uma grande modernização. Com o surgimento dos aviões a jato, surgiu a necessidade de criar novos sistemas de armas de longo alcance para aviação.

Makarov começou a desenvolver armas de artilharia de aviões em meados da década de 1950, após seu êxito com a pistola Makarov. A nova arma aérea era baseada em uma metralhadora usada anteriormente nos helicópteros de transporte Mi-4 e nos primeiros caças MiG.

A arma foi batizada de AM-23, em homenagem a seus desenvolvedores, Afanássiev e Makarov. Era uma arma de calibre de 23 mm, operada a gás, que usava o princípio de outras armas soviéticas famosas, como, por exemplo, o fuzil AK-47.

O AM-23 tinha cadência de tiro de 1.200 disparos por minuto e recebeu um bloco de gás que suavizava o recuo e prolongava a vida útil da arma.

Os engenheiros criaram novas munições especialmente para o AM-23: projeteis perfurantes de fragmentação e projeteis explosivos para destruir aeronaves.

Depois de sua criação, no final dos anos 1950, o AM-23 fui utilizado pelas Forças Armadas soviéticas por 25 anos e usado como uma arma defensiva na seção traseira de aeronaves de transporte militar pesadas, nos bombardeiros gigantes Tu-16 e Tu -95 e nos aviões anti-submarinos Tu-142.

Armas Antitanque

Em meados da década de 1970, Makarov foi encarregado de projetar um novo sistema de mísseis antitanque. A arma deveria substituir o primeiro sistema antimísseis soviético Malyutka, que não era mais apropriado para lidar com tanques modernos: um míssil Malyutka cobria uma distância de dois quilômetros em dois minutos, o que permitia atingir apenas alvos estacionários.

Junto com outros colegas, Makarov criou um sistema anti-tanque de nova geração, batizado de 9K111. Diferentemente de seu antecessor, os mísseis eram guiados não manualmente, mas com ajuda dos buscadores de infravermelho.

O 9K111 é um sistema portátil, que requer três pessoas para operá-lo: duas são responsáveis por transportar mísseis anti-tanque, enquanto a terceira carrega o próprio lançador. O sistema 9K111 pode ser colocado em posição de tiro em menos de 30 segundos.

Assim, o exército soviético recebeu uma arma que podia eliminar tanques inimigos e veículos blindados a até 2,5 quilômetros de distância e, depois, desaparecer do campo de batalha sem ser detectado.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies