Rússia terá drone submarino nuclear, o ‘Poseidon’

Nova arma poderá gerar um tsunami na costa do inimigo e destruir tudo no caminho com uma poderosa onda de choque.

Em mensagem anual à Assembleia Federal nesta quarta-feira (20), o presidente russo Vladímir Pútin declarou que, entre março e maio de 2019, a Rússia lançará um submarino atômico com o primeiro veículo nuclear não tripulado Poseidon, que terá alcance ilimitado.

"O veículo submarino não tripulado Poseidon, com alcance ilimitado, está sendo testado com sucesso. O primeiro drone submarino nuclear será lançado nesta primavera", disse Putin.

"Esta arma é centenas de vezes mais barata do que qualquer um dos sistemas estrangeiros. Os testes marítimos do drone subaquático foram concluídos com sucesso”, lê-se no comunicado do Ministério dos Negócios Estrangeiros da Rússia.

Segundo os militares, o principal objetivo do novo projeto é garantir a segurança da Rússia sem aumentar os gastos orçamentais e sem entrar em uma nova corrida armamentista.

Todo o projeto Poseidon é classificado como "top secret", e as características técnicas do drone e da sua ogiva não foram divulgados.

Segundo uma fonte no complexo militar-industrial que não quis ser identificada, a Rússia está desenvolvendo diversos sistemas de armas totalmente automatizados para tropas terrestres, Marinha e Força Aéreas.

“A unidade de energia nuclear instalada dentro de Poseidon permite que o drone marítimo viaje por distâncias ilimitadas e leve a ogiva a qualquer lugar", disse.

Graças à possibilidade de coletar as informações da inteligência naval sobre os movimentos dos submarinos e criar mapas eletrônicos da topografia do fundo do mar, o Poseidon será capaz de traçar rotas seguras.

"O Poseidon é uma versão avançada do projeto do torpedo nuclear T-15 soviético, que foi criado para atingir portos inimigos e bases costeiras com um enorme tsunami e uma onda de choque", explica o professor Vadim Koziúlin, da Academia de Ciências Militares.

Segundo ele, na época soviética não havia um submarino apropriado que pudesse servir de plataforma de lançamento para o torpedo, que tinha cerca de 23 metros de comprimento e pesava 40 toneladas.

"As tecnologias modernas ajudaram a resolver o problema a baixos custos. O Poseidon vai se juntar às forças de dissuasão da Rússia e vai se tornar parte de sua tríade nuclear", completou.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies