Rússia se prepara para iniciar vendas de novo helicóptero Mi-38

Vitaly V. Kuzmin
Aeronave de múltiplas funções substituirá os desatualizados Mi-8, será parcialmente autônoma e custará menos que seus concorrentes estrangeiros.

No início de novembro, a Russian Helicopters, maior fábrica de aeronaves do tipo na Rússia, realizou o primeiro voo do novo helicóptero de múltiplas funções Mi-38. A aeronave já passou por um ciclo completo de testes, entrou em produção em série e está se preparando para ser negociada nos mercados de aviação civil e militar.

Segundo especialistas em aviação, o Mi-38 substituirá os Mi-8, que são os helicópteros soviéticos mais vendidos no mundo, e competirá no mercado com os homólogos europeus e americanos.

Mi-38 na fábrica.

Os desenvolvedores de helicópteros russos começaram a projetar a substituição para os Mi-8 ainda no início dos anos 1980. Mas, devido a crises econômicas, o trabalho foi interrompidos.

Segundo seus projetistas, o Mi-38 é a aeronave mais automatizada do mundo e será capaz de levar cerca de cinco toneladas de carga a uma distância de até 1.300 quilômetros. O helicóptero recebeu equipamentos eletrônicos que permitem realizar voos automatizados, incluindo decolagem, aterrissagem e flutuação a uma certa altitude.

O Mi-38, porém, não poderá ser um verdadeiro veículo aéreo não tripulado, e precisará ter uma tripulação de duas pessoas. A cabine dos pilotos é projetada para realizar voos de longa distância em condições confortáveis.

O helicóptero recebeu dois motores com potência de 5.000 cavalos cada. Mas, no modo forçado, a potência total da aeronave poderá atingir os 14.000 cavalos.

As lâminas são produzidas com fibra de vidro ultra forte e leve.

Graças a todos esses recursos, o novo helicóptero russo Mi-38 pode transportar até 30 passageiros, enquanto a versão especializada da aeronave pode transportar até 16 pacientes para o hospital.

O valor do novo helicóptero variará entre os 15 e os 17 milhões de dólares - pelo menos 5 milhões de dólares mais barato que os helicópteros europeus e norte-americanos da mesma classe. Por exemplo, o helicóptero AS332 Super Puma francês custa cerca de US$ 22,6 milhões.

“O Mi-38 será importante em operações off-shore, que exigem longos voos sobre a água e uma grande capacidade de carga. Apesar de os Mi-8 estarem operando em missões assim, eles não são os mais adequados para essa finalidade. Há demanda na aviação regional para o Mi-38, principalmente para o transporte de carga e passageiros”, disse o editor da revista especializada em aviação “Vzliot”, Vladímir Scherbakov.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? 
Então assine nossa newsletter semanal ou diária.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies