Forças Armadas russas receberão novos robôs de inteligência artificial

Marina Lystseva/TASS
No início da década de 2020, novos equipamentos de reconhecimento submarino e torres com metralhadoras com inteligência artificial serão entregues ao exército do país.

No início de outubro, a fábrica russa de armas e equipamentos de defesa o Consórcio Kalashnikov apresentou um novo módulo de combate parecido com uma torre com metralhadoras que funcionará com base em tecnologia de inteligência artificial (IA).

O novo robô da Kalashnikov, com metralhadoras de calibre de 12,7 mm, funciona com base em tecnologias de redes neurais e pode detectar alvos, avaliar sua prioridade e destruí-los um a um, dependendo do nível de ameaça.

O módulo pode, por exemplo, perceber que é preciso destruir veículos blindados antes de destruir alvos únicos. Ao mesmo tempo, o operador pode desabilitar as funções do IA e assumir o controle manual.

O robô pode ser usado não apenas contra alvos terrestres, como infantaria ou veículos blindados, mas também contra alvos marítimos e aéreos. Assim, o módulo é uma arma eficaz contra pequenos veículos aéreos não tripulados amplamente usados por militares.

A arma também pode ser instalada como parte de uma rede várias torres conectadas a uma única rede para ação coordenada.

De acordo com o Consórcio Kalashnikov, o módulo pode tomar decisões independentes e diferenciar os animais dos humanos.

“A IA do robô tem um banco de dados de alvos pré-instalados que contém informações sobre sua aparência, movimento, irradiação térmica. O banco de dados é atualizado constantemente por meio de algoritmos de autoaprendizagem”, explicou o porta-voz do Consórcio Kalashnikov.

A instalação dos módulos de combate em instalações militares poderá excluir o fator humano, como a perda de vigilância ou fadiga.

Atualmente, o módulo está sendo testado pela fábrica. Caso os testes sejam bem-sucedidos, esta poderá ser a primeira torre com metralhadoras controlada por IA na Rússia.

Robôs de reconhecimento subaquático

LEIA TAMBÉM: ‘Elevador espacial’ idealizado por cientista russo há 120 anos pode virar realidade

O Consórcio Kalashnikov também está desenvolvendo o novo sistema “Harmonia” que consiste em uma rede de estações robóticas localizadas no fundo do mar.

O sistema realiza o monitoramento acústico do oceano usando sonares. Cada robô pode operar a temperaturas entre 10 graus Celsius negativos e 45 graus Celsius positivos.

"Os militares russos planejam instalar essas estações em águas neutras para controlar os submarinos estratégicos dos EUA, Reino Unido e França”, explica o analista militar Dmítri Safonov.

“Os Estados Unidos também estão implantando sistemas de reconhecimento semelhantes nos mares Norueguês, de Barents e no Mar do Japão. Eles estão observando os submarinos russos não apenas com a ajuda de sistemas marítimos, mas também com satélites”, diz Safonov.

Segundo ele, o novo sistema poderá cobrir completamente as fronteiras russas e monitorar o movimento de submarinos em águas neutras já no início da década de 2020.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? 
Então assine nossa newsletter semanal ou diária.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies