Exército russo cria seu próprio ‘iCloud militar’

Nikolái Jizniak/Sputnik
Reforço no armazenamento de dados garantirá que informações sejam, de fato, mantidas em segredo absoluto. Um dos centros do projeto já está em funcionamento no sul da Rússia, segundo especialista militar.

As forças armadas da Rússia estão prontas para receber seu próprio iCloud, onde serão armazenadas informações supersecretas sobre suas tecnologias e oficiais.

Atualmente, os desenvolvedores de TI do país estão trabalhando na criação de sua própria internet militar que não estará conectada à comum. O valor total do projeto é estimado em US$ 6,5 milhões e começará a funcionar a partir de 2020.

“Vários centros à prova de desastres serão construídos em todo o país, o que permitirá que todas as estruturas se comuniquem em tempo real e processem todas as informações necessárias, sem o perigo de serem descobertas por serviços de inteligência estrangeiros”, disse ao Russia Beyondo analista militar Víktor Litovkin.

Segundo o especialista, um desses centros já passou com sucesso por todos os testes militares e de TI e está operando no Distrito Militar do Sul da Rússia. No futuro, haverá centros semelhantes em cada distrito militar do país e, possivelmente, na Síria.

No entanto, segundo observou Litovkin, essa questão ainda está sendo considerada.

Cada um desses centros funciona como uma “fortaleza cibernética” com fonte de alimentação autônoma. Também não haverá acesso de pessoal não autorizado às salas de servidores, e os computadores sequer terão saídas para dispositivos USB a fim de proteger as informações contra possíveis roubos.

“Todos os programas, assim como hardware dos computadores, são fabricados na Rússia. Não haverá peças da Intel ou de qualquer outra empresa [estrangeira] nesses computadores e servidores”, acrescentou Litovkin.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? 
Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies