Os 11 navios mais poderosos da Marinha russa

Maior cruzador nuclear do mundo, maior hovercraft de combate, contratorpedeiros com poder de fogo devastador, barcos de assalto e submarinos nucleares estão protegendo o litoral da Rússia. O Russia Beyond compila uma lista com os 11 navios mais poderosos a serviço das Forças Armadas do país.

1. Almirante Kuznetsov

O Almirante Kuznetsov é o maior navio já projetado na União Soviética e na Rússia e o único porta-aviões russo. Seu deslocamento é de cerca de 62 mil toneladas.

Ele é um navio bem equipado que tem doze sistemas antinavio Granit, seis canhões automáticos AK-630, dois lançadores de foguetes antissubmarinos UDAV, sistema de defesa antiaérea Kinjal e um complexo de mísseis de artilharia Kortik, que não permite que o inimigo se aproxime do porta-aviões nem por ar, nem por água.

Em 2015, o Exército russo declarou que a construção de um segundo porta-aviões não seria discutida, pelo menos, durante os próximos cinco anos. Assim, o Almirante Kuznetsov continuará sendo o único porta-aviões russo dedicado a proteger os interesses do país nos oceanos.

Em 2016, Almirante Kuznetsov participou da operação militar contra o Estado Islâmico na Síria.

2. Almirante Nakhimov

Um dos maiores cruzadores de propulsão nuclear, o Admiral Nakhimov foi construído em 1983 e até 1992 levou o nome “Kalinin”. O comprimento do navio é de 250 metros.

Ele faz parte do projeto de cruzadores de mísseis atômicos 11442 “Orlan”, que são projetados para garantir a estabilidade militar em mares e oceanos remotos.

O navio é armado com mísseis de cruzeiro Kalibr, sistemas de defesa antiaérea S-400, 2 sistemas de mísseis antiaéreos ("Fort" e "Kinjal"), um sistema de defesa antissubmarino "Vodopad", 6 unidades de sistemas de defesa antiaérea de mísseis e artilharia de curto alcance "Kortik".

3. Pedro, o Grande

O último navio de guerra de grande porte russo foi construído em 1989 e recebeu o nome de Piotr Veliki (Pedro, o Grande, também grafado Petr Veliki), e é o maior navio de guerra do mundo, exceto os porta-aviões. Participou de diversos exercícios militares, entre eles, na Venezuela, em 2008.

Em 2019, o cruzador retornará aos estaleiros, onde será modernizado e equipado com as armas mais modernas. É candidato a receber os primeiros mísseis hipersônicos do mundo, os Tsirkon.

4. Almirante Gorchkov

A fragata “Almirante Gorchkov”, principal embarcação do Projeto 22350, foi construída com a tecnologia stealth e tem uma superestrutura feita de materiais compostos que absorvem ou permitem a penetração parcial das ondas de rádio, razão pela qual é invisível aos radares.

O navio deverá ser entregue à Marinha russa em 2022.

O Almirante Gorschkov está equipado com o sistema de artilharia A-192 “Armat” de 130 mm de calibre, com a cadência de tiro de 30 rodadas por minuto e um alcance de 22 quilômetros.

Além disso, o navio receberá mísseis anti-navio "Onyx" ou "Kalibr" e um sistema de defesa antiaérea "Poliment-Redut".

5. Samum

Em 2014, o porta-mísseis Samum entrou no Agrupamento Mediterrâneo da Marinha russa. O Samum pode alcançar velocidade de 50 nós por hora (cerca de 100 km/h) e pode realizar ataques preventivos inesperados contra grupos de porta-aviões. Tem oito mísseis da classe “Mosquito”, invisíveis para sistemas de defesa aérea. É o único navio-catamarã com mísseis pesados.

6. Moskva

O cruzador de mísseis Moskva é o principal navio do Projeto 1164, de cruzadores de mísseis guiados, da Marinha russa. Concebido em 1976 em um estaleiro de Nikoláiev, foi batizado de Slava (“Glória”).

O Moskva é basicamente uma versão naval do sistema de defesa antiaérea S-300. Além de mísseis, o navio está equipado com morteiros antissubmarino e torpedos.

Em 2015, o Moskva foi enviado para o litoral da fronteira entre a Síria e a Turquia em resposta à derrubada do bombardeiro russo Sukhôi-24 pela aviação turca.

7. Severodvinsk

O principal submarino atômico da classe Iássen foi oficialmente revelado em 17 de junho de 2014.

É equipado com o análogo russo do míssil americano Tomahawk, o “Granat”, que tem um alcance de até 3.000 km e, como seu equivalente americano, pode ser equipado com ogivas nucleares.

Além disso, o submarino tem mísseis Kalibr 3M14, com um alcance de mais de 500 quilômetros, o que permite que os submarinos do projeto 855 realizem disparos maciços de alta precisão contra alvos terrestres.

8. Kólpino

O submarino diesel-elétrico do projeto 636.3 Kólpino serve na Frota do Mar Negro e está equipado com mísseis de cruzeiro Kalibr LP.

Devido às capacidades deste submarino no fundo do mar, os militares da Otan o apelidaram de "Buraco Negro".

9. Rostov-no-Don

Em 2014, a frota do Mar Negro, localizada na extremidade sul da Federação Russa, recebeu outro submarino elétrico movido a diesel criado como parte do projeto 636.3 Varchaviánka, o “Rostov-no-Don”.

O submarino pode detectar alvos a uma distância três vezes maior do que a maioria de seus análogos. 

O Rostov-no-Don também participou da operação militar contra o Estado Islâmico na Síria.

10. Zubr

Zubr é o maior e o mais rápido hovercraft e lancha de desembarque do mundo.

Quando está em movimento, a lancha Zubr se esconde por completo em uma nuvem de respingos da água e só ao chegar lentamente à praia expõe as quatro grandes hélices localizadas em sua popa e uma saia flexível que, no momento da entrada do veículo em terra firme, vira uma almofada de ar que permite sua flutuação na superfície aquática.

O Zubr é um veículo capaz de circular por qualquer tipo de terreno, transportando equipamentos pesados e tropas de desembarque que podem descer em qualquer lugar, independentemente do relevo.

11. BK-10

Esta pequena embarcação produzida pela empresa Kalashnikov foi projetada para realizar operações de patrulha, sabotagem e anti-sabotagem em áreas costeiras, transporte de pessoal, apoio de linhas de incêndio e desembarque em costas desconhecidas.

 

Curtiu? E você sabia que a Marinha russa tem um dinossauro? Leia aqui!

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? 
Clique 
aqui para assinar nossa newsletter.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais