Rússia desenvolve tanque anfíbio com rodas

Devido aos novos motores de jato de água, o veículo terá capacidade anfíbia e poderá atingir uma velocidade de 12 km/h quando submerso.

Devido aos novos motores de jato de água, o veículo terá capacidade anfíbia e poderá atingir uma velocidade de 12 km/h quando submerso.

Ramil Sitdíkov/Sputnik
Novo veículo usa a base do Bumerang e será equipado com canhão de 125 milímetros de calibre.

A Companhia Industrial Militar Russa anunciou que está desenvolvendo um novo tanque anfíbio leve. A informação é do diretor da empresa Aleksandr Krassovítsk e o nome do veículo ainda não foi divulgado.

O projeto ainda não foi aprovado pelo Ministério da Defesa e a decisão de iniciar ou não a produção será tomada após baterias de testes com os protótipos.

O novo tanque usa a base do Bumerang, veículo blindado de transporte de pessoal russo mostrado pela primeira vez durante o Desfile da Vitória, na Praça Vermelha, em 9 de maio de 2015.

Ele será equipado com um canhão de calibre de 125 mm, como o utilizado no tanque Armata. Além disso, devido aos novos motores de jato de água, terá capacidade anfíbia e poderá atingir uma velocidade de 12 km/h quando submerso.

Veículos ligeiros com rodas são ideais para uso no território europeu, pois o chassi permite que eles se movam mais facilmente e rapidamente do que os veículos blindados pesados, de acordo com o especialista militar da agência Tass, Víktor Litovkin.

 Já Vladimir Evséiev, especialista militar e vice-diretor do Instituto dos países da CEI, duvida da viabilidade e questiona a real necessidade de desenvolver o novo veículo.

"No início da década de 2010, consideramos a compra de modelos rápidos italianos Centauro, que têm um chassi com rodas similar. Eles podem ser usados em estradas boas das planícies europeias, que têm pouca variação de altitude, mas não são os mais adequados para a Rússia", disse.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies