Aves de rapina ainda não protegem Kremlin contra drones, diz assessor

Iliya Pitalev/Sputnik
Açores já usados contra corvos não têm peso suficiente contra dispositivos. Mas ideia de usar corvos para interceptar drones não está fora de questão.

Além da guarda, a proteção do Kremlin de Moscou é garantida também por funcionários pouco convencionais, como açores e um bufo-real. Em geral, os pássaros são usados para controlar a população de corvos locais.

No entanto, um jornalista perguntou recentemente às autoridades sobre a possibilidade de tirar drones com essas aves.

“Na Europa eles usam pássaros para tais finalidades”, respondeu a fonte de aplicação da lei citada pela RIA Nôvosti. “Mas precisamos entender que uma ave de rapina pesa de 1,2 a 1,4 kg. Isso não é pesado o suficiente para interceptar nem mesmo drones pequenos. Não existe essa tarefa no momento, mas, na teoria, seria possível.”

“É melhor usar falcões para essa tarefa, não açores”, acrescentou o assessor.

Leia mais sobre a divisão especial de aves que protegem o Kremlin de Moscou.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais