Exército russo receberá nova bomba autodirecionada Drel

Segundo o fabricante, as novas bombas guiadas Drel vão substituir com sucesso as FAB-500 obsoletas a bordo dos bombardeiros russos.

Segundo o fabricante, as novas bombas guiadas Drel vão substituir com sucesso as FAB-500 obsoletas a bordo dos bombardeiros russos.

Dmitri Reshétnikov/TASS
Artefato pesa 500 kg e pode destruir bateria de artilharia com uma explosão.

“Estamos realizando os testes finais da nova bomba aérea autodirecionada não-guiada Drel, que será entregue às Forças Armadas russas até o fim de 2018”, disse o diretor-geral da Techmash, responsável pelo desenvolvimento da nova arma, Vladímir Lêpin.

A nova bomba irá substituir as obsoletas bombas não-guiadas FAB-500, desenvolvidas há meio século.

Durante a campanha militar contra os terroristas do Estado Islâmico, as Forças Aéreas russas usaram as FAB-500 modernizadas, que estão equipadas com um sistema de direção. No entanto, segundo especialistas militares, as FAB-500 já não podem ser usadas em conflitos militares, uma vez que quase todos os sistemas antiaéreos modernos são capazes de derrubá-las.

Segundo o fabricante, as novas bombas autodirecionadas Drel vão substituir com sucesso as FAB-500 obsoletas a bordo dos bombardeiros russos.

A Drel é uma bomba de fragmentação com 15 elementos, que contêm uma grande quantidade de projéteis de cobre. Os projéteis atingem a velocidade de 3 km/s e são capazes de perfurar a blindagem pesadas dos veículos militares.

A nova bomba pode ser lançada a uma altura de 30 quilômetros e, graças ao sistema de navegação Glonass, é capaz de alcançar o objetivo com grande precisão.

No futuro, o fabricante planeja equipar a Drel com novos motores de alta energia, o que aumentará significativamente o alcance operacional da nova bomba.

Quer saber mais sobre armas russas? Leia "Como militares russos combatem drones?"

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies