3 novas aeronaves recebidas pelo Exército Russo em 2017

O ano de 2017 será lembrado como importante para a indústria russa de construção de aviões, com reforços substanciais às Forças Aeroespaciais do país como o novo caça MiG-35, o bombardeiro estratégico Tu-160M2 e o "radar voador" A-100.

MiG-35

A estreia mais importante do ano é o caça da geração 4++ MiG-35, de acordo com especialistas militares.

O avião de combate super manobrável foi desenvolvido para substituir todas as aeronaves MiG-29 das Forças Aeroespaciais russas.

Ela será usada durante operações terrestres para proteger tropas e aviões-bombardeiros. O MiG-35 será empregado especialmente  em conjunto com o bombardeiro Su-34.

Graças a seus novos motores, o MiG-35 pode atingir uma velocidade de 2.700 km/h e seus pilotos podem executar acrobacias aéreas.

"O MiG-35 representa uma modernização profunda do MiG-29. O novo caça pode utilizar todos os tipos de armamentos existentes, incluindo armas a laser (de energia dirigida). O avião foi projetado para participar de combates de alta intensidade, inclusive em áreas com sistemas de defesa antiaérea", explica o chefe do laboratório de Mecânica e Sistemas de Energia da Universidade de Tecnologia de Informação, Pável Bulat.

O MiG-35 pode levar até 6,5 toneladas de munição. Graças aos novos avanços, o avião pode seguir até 30 alvos aéreos e atacar até seis alvos simultaneamente a uma distância de até 130 quilômetros.

Especialistas afirmam que a unidade do MiG-35 custará cerca US$ 16,8 milhões, uma das principais vantagens da aeronave russa, já que o Rafale, produzido pela França, custa o dobro. 

O MiG-35 foi criado principalmente para exportação, especialmente a países que usam ativamente o caça de quarta geração MiG-29, de acordo com o editor-chefe da revista "Arsenal da Pátria", Víktor Murakhôvski.

Tu-160M2

Este bombardeiro é a repaginação do maior bombardeiro estratégico do mundo, o Tu-160, também conhecido como "Cisne Branco".

Este novo avião pode atingir uma altura de 18 quilômetros e quase entra nas primeiras camadas da estratosfera, onde passa a ser inatingível para todos os sistemas de defesa aérea existentes.

De acordo com o vice-diretor da Tupolev, Valéri Solozobov, o novo Tu-160M2 é um veículo completamente novo, embora o design interior do “Cisne Branco" tenha sido mantido.

O novo bombardeiro estratégico recebeu novos sistemas de navegação, armas de guerra radio-eletrônica e novos mísseis e bombas, ambos guiados e não guiados.

O avião poderá receber diferentes tipos de armamentos, nucleares e convencionais, entr eles os novos mísseis de longo alcance X-101 e X-555, que podem atingir alvos a até 2.000 km de distância.

O Tu-160M2 também lançar todos os tipos de bombas, inclusive as de fragmentação, navais, de perfuração e de perfuração de concreto.

O avião é um modelo de transição até que a Rússia crie o bombardeiro de nova geração PAK DA, cujo primeiro voo deverá ser realizado no início da década de 2030.

A-100

Neste ano, a Rússia finalmente finalizou os testes do novo avião de reconhecimento e detecção por radar a grandes distâncias A-100 Premier, há muito aguardado pelas Forças Aeroespaciais.

O A-100 foi criado com base no cargueiro modernizado IL-76MD-90A. Em comparação a seu antecessor, o avião teve a fuselagem alongada, foi dotado de novos motores mais econômicos, localizados sob as asas, e os dispositivos analógicos deram lugar a displays multifuncionais.

O novo avião é projetado para detecção, identificação e rastreio de alvos aéreos, terrestres ou que estejam na superfície da água, e para o gerenciamento de todos os tipos de caças, bombardeiros, aviões de ataque terrestre, aeronaves especiais e drones.

Quer saber mais sobre aviação russa? Leia Projetos incríveis (e desconhecidos) da aviação soviética

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies