Rússia pode vender 49% das ações de sua maior fabricante de tanques russa

Alexéi Malgavko/Sputnik
Uralvagonzavod irá desfazer-se de quase metade de suas ações para pagar dívidas críticas, segundo imprensa russa.

Na última segunda-feira (8), a agência de notícias russa Interfax informou que a holding estatal Rostec está planejando realizar uma oferta inicial de ações (IPO) da maior fabricante de tanques e trens russo, a Uralvagonzavod.

Segundo a agência, durante os próximos dois anos, 49% das ações da fabricante do famoso tanque T-14 Armata serão vendidas a outras empresas e investidores privados. A notícia provocou uma onda de ansiedade entre empresas estrangeiras que querem acesso a tecnologias militares russas.

De acordo com as fontes da agência, o Consórcio Kalashnikov, que produz fuzis Ak-74 está interessado na aquisição da maior parte das ações da Uralvagonzavod, embora o porta-voz da Kalashnikov tenha negado a informação.

“Os investidores estrangeiros não poderão adquirir unidades da empresa ligadas à produção militar. Se as coisas se saírem mal, a empresa separará a produção militar da civil e venderá os ativos não ligados ao setor militar-industrial a empresas estrangeiras”, explicou o analista militar da agência de notícias Tass, Víktor Litôvkin.

A empresa Uralvagonzavod está localizada na cidade de Níjni Taguil (cerca de 1.800 km a leste Moscou) e é considerada a maior fabricante de tanques do mundo. Além de veículos blindados, a empresa produz vagões de trem e outros produtos para uso civil e militar.

Notícia velha?

A primeira menção sobre a possível venda das ações do fabricante de tanques surgiu em 2016, quando a a administração planejava realizar uma IPO de 25% menos uma ação da empresa.

No entanto, no final de 2016, o presidente Vladimir Putin assinou um decreto transferindo 100% ações da empresa para a empresa Rostec, que consolida empresas estrategicamente importantes - muitas das quais estão falidas ou estão a ponto de declarar falência.

O principal objetivo da incorporação é capitalizar os negócios e obter uma administração mais efetiva, que possa realizar ofertas públicas e vender empresas estrategicamente importantes de maneira correta.

Em março de 2017 o ex-vice-ministro da Indústria e Comércio da Federação Russa, Alexander Potápov, foi designado novo diretor-geral da Uralvagonzavod.

Mais tarde, o vice-primeiro ministro, Dmitri Rogozin, explicou que a transferência da empresa para a Rostec foi realizada para melhorar sua situação financeira e acabar com a acumulação de dívidas (em meados de 2016, a Uralvagonzavod tinha uma dívida de US$ 3,5 bilhões).

Segundo uma fonte do Russia Beyond no setor militar-industrial, a transferência para a Rostec não ajuda a melhorar a situação financeira da empresa, mas a nova encomenda de tanques T-14 Armata e o desenvolvimento do novo tanque T-15 Terminator 2 devem ajudar a pagar as dívidas.

"Porém, é questionável se essas encomendas ajudarão a resolver os problemas. Há dúvidas sobre a possibilidade de a administração modernizar instalações obsoletas para entregar o número necessário de tanques T-14 Armata ao exército", disse Litôvkin.

Não perca a história da maior fábrica de tanques do mundo! Clique aqui.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais