Primeiro protótipo AK-47 versus modelo clássico; assista ao vídeo

Hoje há cerca de 100 milhões de rifles Kalashnikov em todo o mundo. Desses, 75% são AK-47.

Hoje há cerca de 100 milhões de rifles Kalashnikov em todo o mundo. Desses, 75% são AK-47.

Legion Media
Fábrica do fuzil de assalto mais famoso do mundo divulga vídeo do primeiro protótipo da AK-47, que difere de sua versão mais conhecida.

O primeiro lote de 1.500 fuzis AK-47 foi produzido em 1948 e imediatamente entregue às Forças Armadas para testes. Mas a arma hoje conhecida pela sigla AK-47 difere bastante de seus primeiros protótipos. 

As diferenças básicas podem ser detectadas facilmente. As primeiras metralhadoras tinham uma coronha de metal, que mais tarde foi trocada por madeira.

Também havia um freno de boca não removível, que foi substituído apenas 30 anos mais tarde, quando saiu a primeiro AK-74.

"A coronha de metal afetava gravemente a precisão da arma, por isso a fábrica a substituiu por uma de madeira”, explica o professor da Academia das Ciências Militares da Rússia, Vadim Koziúllin.

Além disso, os primeiros protótipos do AK-47 não eram muito confiáveis, não funcionando muito bem em condições climáticas extremas.

Mas a principal tecnologia do protótipo não diferia das futuras versões do fuzil: este foi o primeiro rifle de assalto semiautomático e automático de calibre de 7,62 x 39 mm soviético.

A arma recebeu um carregador de munição de 30 cartuchos e tinha alcance máximo efetivo de 800 metros. 

A AK-47 tem alta reputação por sua resistência à água, areia e lama, assim como por sua manutenção simples. Uma das principais características do fuzil é o funcionamento em todas as condições meteorológicas, de temperaturas entre 40 graus Celsius negativos a 60 graus Celsius positivos, sob fortes chuvas e tempestades de areia. 

Hoje, 70 anos após sua criação, a AK-47 continua a ser uma das armas mais empregadas em guerras em todo o mundo devido a seu funcionamento, bastante confiável, e baixo preço.

De acordo com uma pesquisa da Universidade de Oxford, hoje há cerca de 100 milhões de rifles Kalashnikov em todo o mundo. Desses, 75% são AK-47.

Veja o funcionamento do fuzil em câmera lenta: 

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Leia mais