MiG-31: o avião do passado conquista o futuro

Foto: ITAR-TASS

Foto: ITAR-TASS

As fronteiras aéreas da Rússia são protegidas por um avião de caça único capaz de impedir a entrada no território nacional de todos os tipos de objetos, dos mísseis de cruzeiro a satélites se movimentando com qualquer velocidade à luz do dia e à noite, inclusive sob qualquer condição climática. Segundo os militares, no momento, em termos dos seus principais parâmetros, o MiG-31 não possui análogos mundiais e também não terá nenhum concorrente do gênero nos próximos 10 a 15 anos.

Barreira ártica

O MiG-31, avião de intercepção supersônico de dois lugares ou Foxhound conforme a classificação da NATO, é o primeiro avião de caça soviético da quarta geração criado  no final da década de 60 do século XX pelos motivos internos e externos. De um lado, na época, o exército dos Estados Unidos recebeu à sua disposição os mísseis de cruzeiro para os fins estratégicos e os bombardeiros FB-111 capazes de atravessar o Polo Norte nas baixas altitudes e, seguindo o relevo da superfície da Terra, alcançar as fronteiras da União Soviética sem serem percebidos pelos satélites do país. Por outro lado, a região Norte da Rússia teve uma brecha na cobertura da fronteira soviética pelos radares.

Portanto, com o objetivo de eliminar a brecha e detectar os possíveis invasores estrangeiros, as autoridades soviéticas decidiram cobrir o espaço aéreo ártico usando os aviões de caça capazes de controlá-lo em todas as altitudes. O modelo necessário para este fim foi criado pelo departamento de engenharia do famoso construtor projetista Artem Mikoián, hoje em dia conhecido como a Corporação da Indústria Aeronáutica MiG. O fato da disponibilidade dos novos avões russos diminuiu a frequência das patrulhas aéreas americanas ao longo das fronteiras da União Soviética.

Hoje em dia, a experiência de uso dos MiG-31 na região ártica poderá ser aplicada às atividades das unidades norte do exército russo, principalmente no contexto da realização da campanha referente à defesa dos interesses do país na região.

Características de desempenho dos aviões MiG-31

Peso máximo de decolagem: 46,2 toneladas

Velocidade máxima: 3000 quilômetros por hora (nas grandes altitudes), 1500 quilômetros por hora (nas baixas altitudes)

Teto máximo de serviço: 20,6 quilômetros

Capacidade máxima para carga de explosivos: 9 toneladas

Melhores características

Os aviões MiG-31 possuem as capacidades suficientes para detectar e eliminar todos os tipos de alvos, dos satélites nas baixas altitudes aos mísseis de cruzeiro. Um grupo dos aviões de intercepção consegue controlar uma grande parte do espaço aéreo e repassar as coordenadas dos invasores aos aviões de caça e aos sistemas de defesa antiaérea localizados na superfície terrestre.

Devido às funções e características únicas do complexo de radares composto por sistema de controle de armamento Zaslon que inclui a inovação mundial, o conjunto de antenas phased array, o avião ganhou o apelido de Radar Voador. Ao contrário do radar tradicional, as características do phased array permitem deslocar o raio sem necessidade de movimentar o conjunto de antenas, assim como emitir a quantidade necessária de raios, possibilitando a observação dos múltiplos alvos simultaneamente.

Ao mesmo tempo, o sistema Zaslon é capaz de detectar até 24 objetos à distância de até 200 quilômetros. Em seguida, o computador de bordo escolhe quatro alvos mais perigosos e lança os mísseis ar-ar de longo alcance, enquanto quatro alvos restantes (a quantidade de objetos a serem atacados simultaneamente é igual a oito) são eliminados por meio dos mísseis de médio e curto alcance. As suas coordenadas também podem ser repassados aos aviões de caça ou aos sistemas de mísseis de defesa antiaérea.

Zaslon-M, versão atualizada do sistema Zaslon, disponível para o exército russo a partir de 2008, já possui a capacidade de detecção dos alvos aéreos mais ampla, cuja faixa chega a até 320 quilômetros.

Segundo os especialistas, no momento, em termos dos seus principais parâmetros, o MiG-31 não possui análogos mundiais e também não terá nenhum concorrente do gênero nos próximos 10 a 15 anos. Com e exceção dos modelos de quinta geração, todos os aviões de caça modernos possuem as características supersônicas apenas parciais devido às restrições das estruturas dos seus planadores que reduzem o tempo de voo no modo supersônico para até 5-15 minutos.  Ao contrário deles, o MiG-31 é perfeitamente capaz de funcionar neste modo, enquanto estiver combustível nos seus tanques, e possui a capacidade suficiente para romper a barreira do som tanto em voo horizontal, quanto ganhando altitude. Vale ressaltar que a maioria dos modelos supersônicos existentes supera a velocidade de M=1 apenas em voo de mergulho.

História do breve lançamento

Os aviões MiG-31 começaram a serem fabricados em 1981 na usina Sokol localizada na cidade de Gorki, hoje em dia conhecido pelo nome de Níjni Novgorod, e em 1994, a sua produção foi suspensa. Ao longo de todos os anos foram construídos 500 aviões, dos quais apenas cerca de 100 unidades encontram-se em pleno funcionamento no presente momento.

O projeto de modernização do MiG-31 iniciado em 1984 resultou na criação do novo modelo MiG-31M,  o avião soviético mais avançado na época, cujos dados técnicos continuam sendo mantidas em sigilo. As suas poucas informações disponíveis referem-se à velocidade máxima que supera a dos aviões similares fabricados no mundo em 500 ou mais quilômetros por hora. Em agosto de 1995, o avião foi apresentado na feira aeronáutica MAX-95 realizada na cidade de Jukovski e ganhou excelentes avaliações de especialistas. Apesar do sucesso, a fabricação do MiG-31M em série não foi iniciada.

A própria usina Sokol e as oficinas de concerto de aviões ainda possuem o equipamento, os especialistas e a documentação necessários para o reinício da produção do modelo. Segundo os especialistas, os presentes fatores podem reduzir em mais de um terço o tempo e os custos de fabricação destes aparelhos voadores eficientes na proteção das fronteiras aéreas do país.

http://vpk-news.ru/articles/19183

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.