As 5 igrejas mais diferentonas da Rússia

Lori/Legion-Media
Desde templos esculpidos em grutas a inspirados em comidas russas, confira as igrejas não só mais inusitadas, como algumas das mais antigas do país.

1. Templo de Todas as Religiões, em Kazan

(Foto: Wikipedia.org)(Foto: Wikipedia.org)

Embora o topo desse edifício seja coroado por cúpulas com cada vez mais cruzes muçulmanas e cristãs, o Templo Universal não foi concebido como um lugar para fiéis de diferentes religiões orarem juntos.

O artista e filantropo local Ildar Khanov construiu o templo na esperança do fim dos conflitos religiosos e a invenção de uma religião única para todos os povos do mundo – razão pela qual não realizadas cerimônias no local. Desde a morte do artista, em 2013, o templo acabou se tornando uma grande atração turística da região e hoje é mantido por patrocinadores.

2. Igreja de Nossa Senhora de Vladímir, em Bikovo

(Foto: Lori/Legion-Media)(Foto: Lori/Legion-Media)
Esse castelo neogótico de dois andares, situado no vilarejo de Bikovo (a 40 km de Moscou), não se parece nada com as igrejinhas que costuma se ver nas aldeias russas.

A construção do templo foi ordenada no final do século 18 pelo general Mikhail Izmailov, o grande senhor das terras na região. A missão ficou com o arquiteto Vassíli Bajenov, que tinha desagradado a imperatriz Catarina 2ª com o projeto desenvolvido para a residência oficial em Moscou.

Nos anos 1930, a igreja foi saqueada, virou armazém e, mais tarde, abrigou uma fábrica de costura. Desde sua renovação, em 1989, a igreja fica aberta todos os dias, com missas aos sábados e domingos.

3. Igreja de Nossa Senhora da Anunciação, em Dubrovitsi

(Foto: Lori/Legion-Media)(Foto: Lori/Legion-Media)
O príncipe Boris Golitsin, que apoiava o jovem imperador Piotr 1º, ergueu a Igreja de Nossa Senhora da Anunciação, em 1703, em Dubrovitsi, uma de suas propriedades nos arredores de Moscou (a 60 km da capital). O templo, que tem a mesma idade de São Petersburgo, foi transformado em um museu no início do século 20, sobreviveu à onda de demolições de catedrais na década de 1930 e só reabriu as portas aos fiéis 60 anos depois.

4. Convento da Caverna, em Kostomarovo

(Foto: Iliá Pitalev/RIA Nôvosti)(Foto: Iliá Pitalev/RIA Nôvosti)
Os historiadores nunca chegaram a um consenso sobre quem cavou as cavernas e construiu igrejas na rocha calcária da região de Voronej, a 800 quilômetros  de Moscou: a comunidade local de monges eremitas no século 17, ou os cristãos vindos do Império Bizantino na época da Iconoclastia, no século 8.

Após a revolução de 1917, o convento foi fechado, mas muitos dos eremitas continuaram vivendo secretamente dentro das cavernas. Duas décadas e meia depois, a Segunda Guerra engoliu o convento – a área circundante foi ocupada em 1942 e 1943, e os moradores locais foram buscar refúgio ali.

Em 1997, o convento retomou as cerimônias religiosas.

5. Igreja do ‘Bolo de Páscoa e Paskha’, em São Petersburgo

(Foto: Wikipedia.org)(Foto: Wikipedia.org)
O projeto nada convencional dessa igreja do século 18 não foi mero capricho do arquiteto, mas uma encomenda do príncipe Aleksandr Viazemski.

Composto por uma igreja e um campanário, o conjunto imita as formas de pratos tradicionais russos: ‘paskha’ (uma sobremesa em forma de pirâmide feita com um tipo de queijo russo chamado “tvorog”); e ‘kulich’, o bolo de Páscoa. Ambos são preparados apenas uma vez por ano – na Páscoa, é claro.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail?
Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.