Três enganos culturais sobre os russos

Comunismo e vodca ainda são símbolos da cultura russa para muitos estrangeiros Foto: RIA Nóvosti

Comunismo e vodca ainda são símbolos da cultura russa para muitos estrangeiros Foto: RIA Nóvosti

Estereótipos persistem na mentalidade dos russos sobre os estrangeiros, e a recíproca é verdadeira.

1.      “Os russos são todos comunistas”

Para falar a verdade, ainda há um monte de comunistas na Rússia. Afinal, é o segundo partido mais representado na Duma (câmara dos deputados no país), com 92 assentos e 156.528 membros do partido documentados. É possível observar a nostalgia da União Soviética em vários momentos, além do respeito por Lênin e Stálin nas mais diversas faixas etárias. Apesar dessa melancolia e popularidade persistentes, não se pode ignorar os vários outros partidos políticos não comunistas existentes na Rússia.

Cabe lembrar também que o principal partido na Rússia atual é o governista Rússia Unida. Com 238 assentos, o partido de Pútin detém a maioria na Duma de Estado (câmara baixa do Parlamento russo). Pesquisas recentes revelaram que 30% da população russa é leal ao Rússia Unida.

O terceiro partido mais representado na Duma de Estado é o Rússia Justa, com 64 assentos. A sigla se autodenomina o maior partido de esquerda na Rússia, com aproximadamente 400 mil membros.

O LDPR (Partido Liberal Democrático da Rússia) é de extrema direita e frequentemente descrito como ultranacionalista e xenófobo - ironicamente, não liberal ou democrático. Apesar disso, o LDPR é o quarto maior partido político da Rússia, ocupa 56 assentos na Duma e possui quase 600 mil membros.

Outras partidos de destaque na Rússia atual incluem Iábloko e Patriotas da Rússia.

Com essa variedade de partidos políticos e uma sigla não comunista no poder, deveria estar mais do que claro que nem todos os russos são comunistas.

2.      “Todos os russos são alcoólatras”

As expressões "A vodca é nossa inimiga, então vamos acabar com ela" e "Vodca nunca é suficiente!" parecem resumir os sentimentos estereotipados dos russos em relação a essa bebida. Com frases como essas e o costume de nunca deixar uma garrafa inacabada, é bastante fácil entender por que os estrangeiros pensam que todos os russos bebem o dia inteiro. No entanto, isso não é verdade para todos. De acordo com a Rosstat, 40% da população russa não bebe álcool algum. A título de comparação, 37% dos americanos disseram que se abstêm de álcool em um estudo produzido pela Organização Mundial de Saúde em 2011.

Por mais chocante que pareça, o domínio da vodca está sendo desafiada pela crescente popularidade da cerveja na Rússia. Considerada 'saudável' por alguns consumidores, observou-se um aumento de 40% nas vendas de cerveja ao longo da última década.

Não é preciso dizer que, mesmo assim, o alcoolismo ainda é um problema na Rússia, com cerca de 2 milhões de casos diagnosticados em 2011, segundo Organização Mundial de Saúde. Basta passar por um perekhod (passagem subterrânea) para se deparar com desocupados e arruaceiros embriagados. O problema do alcoolismo é evidente, mas programas federais têm gerado uma queda nos índices nos últimos anos.

Em 2010, o consumo médio anual por pessoa na Rússia era de espantosos 18 litros. Em 2013, esse índice caiu para 13,5 litros. Mesmo assim, o valor ainda é um pouco superior aos números registrados nos EUA, por exemplo -  7,5-10 litros anualmente, segundo dados de 2011.

3.      “Todo mundo na Rússia é russo”

A Rússia é um país bastante diverso, com mais de 185 etnias diferentes. De acordo com o Censo de 2010, 80,90% da população é etnicamente russa. Entre as etnias não russas com maiores populações, figuram tártaros (3,87%), ucranianos (1,40%), basquírios (1,15%), tchuvach (1,05%), tchetchenos (1,04%) e armênios (0,86%). Em termos numéricos, há cerca de 5 milhões de tártaros; quase 2 milhões de ucranianos; e mais de 1 milhão de basquírios, tchuvach, tchetchenos e armênios, cada.

No entanto, existem inúmeras outras etnias, como tadjique, azeri, quirguiz, moldavo, chinês, cazaque, bielorrusso, georgiano, uzbeque, vietnamita e turcomano.

Os imigrantes ilegais, principalmente da Ásia Central, compreendem mais de 4 milhões de pessoas que residem no interior da Rússia Esses trabalhadores imigrantes certamente adicionam muito à mistura étnica da Rússia.

De um modo geral, mais de 14% da população russa é composta por muçulmano, tornando o islã a segunda maior religião do país ao lado da Igreja Ortodoxa Russa. A Rússia é também lar da maior comunidade muçulmana da Europa.

Confira o infigráfico em íntegra

 

Qual é a sua opinião sobre o assunto? Comente abaixo.

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.